Gravidade do H1N1 relacionada ao “Streptococcus pneumoniae”

Estudo publicado na revista científica "PLoS One”

08 janeiro 2010
  |  Partilhar:

Um estudo publicado na revista científica "PLoS One” traz novos dados que ajudam a explicar por que razão o H1N1, responsável pela gripe A, é inofensivo para alguns e fatal para outros.

 

A pandemia inicial de gripe A atingiu a Argentina de um modo violento, causando as maiores taxas mundiais de morbilidade e mortalidade. Foi este facto que levou os investigadores da Columbia University, nos EUA, e cientistas do Instituto Argentino para Doenças Infecciosas a analisar em pormenor o caso na procura de pistas que indicassem o aumento da virulência e de co-infecções.

 

Os cientistas, liderados por Gustavo Palacios, examinaram amostras retiradas da nasofaringe de 199 indivíduos que contraíram gripe A. O conjunto da amostra incluiu 39 casos classificados como graves e 160 casos classificados como menos graves.

 

As amostras foram testadas, em laboratório, para a presença de 33 patógenos (vírus e bactérias) respiratórios. "A presença do Streptococcus pneumoniae (S. pneumoniae) nos indivíduos com idades compreendidas entre os 6 e os 55 anos, os mais afectados pela pandemia, foi associada a um risco 125 vezes maior de ter a forma mais grave da doença”, disse, em comunicado de imprensa, Mady Hornig, co-líder da equipa de investigadores.

 

"Considerando que a associação do S. pneumoniae com morbilidade e mortalidade já tinha sido estabelecida em anteriores pandemias de gripe, este estudo é, contudo, o primeiro a demonstrar que o diagnóstico de S. pneumoniae é vital e pode salvar vidas”.

 

Embora o primeiro caso da doença tenha sido registado no país apenas a 17 de Maio de 2009, dois meses depois, a Argentina já registava 3.056 casos e 137 mortes, um índice de mortalidade elevado.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.