Gravidade de alergias alimentares poderá ser detetada através de análise sanguínea

Estudo publicado no “The Annals of Allergy, Asthma & Immunology”

07 abril 2015
  |  Partilhar:
Um estudo levado a cabo por cientistas norte-americanos revela que, no futuro, poderá ser possível prever a gravidade das alergias alimentares de um indivíduo através de uma simples análise ao sangue.
 
Atualmente, as alergias alimentares são diagnosticadas com recurso a um teste cutâneo ou a uma análise sanguínea para medir os níveis de IgE específica a alimentos (sIgE), uma proteína produzida pelo sistema imunitário. Contudo, nenhum destes meios consegue prever a gravidade das reações alérgicas. Para tal, os pacientes têm de ser submetidos a um teste alimentar em que são expostos aos alergénios, sob supervisão médica, o que pode provocar reações alérgicas graves.
 
Os cientistas da Escola de Medicina de Mount Sinai, EUA, revelam, num novo estudo, que a contabilização do número de basófilos (célula imunitária ativada mediante exposição a um alergénio) no sangue, através de uma análise denominada BAT (do inglês Basophil Activation Test), pode ser utilizada para prever a gravidade da reação alérgica a um alimento.
 
Neste estudo participaram 67 pacientes com idades compreendidas entre os 12 e 45 anos. Todos os indivíduos participaram em testes alimentares que incluiu a ingestão de um placebo, amendoins, nozes, peixe, marisco ou sésamo. Este ensaio foi realizado em dupla ocultação, de forma que nem os investigadores nem os pacientes sabiam quem tinha recebido o placebo ou um alergénio, uma vez que estes foram distribuídos aleatoriamente.
 
Antes e após esta experiência, todos os pacientes foram submetidos a uma recolha de sangue para análise do mesmo. Os resultados revelaram uma forte correlação entre os dados da análise BAT e os dados recolhidos relativamente à gravidade da reação alérgica registada nos testes alimentares.
 
“Além de prestar informação crucial acerca da potencial gravidade da resposta alérgica a um alimento, a recolha de sangue para a análise BAT é um procedimento muito mais confortável do que os testes alimentares”, esclarece um dos autores do estudo, Ying Song. “Apesar de os testes alimentares serem amplamente utilizados, acarretam um risco de provocar reações alérgicas graves e, como tal, acreditamos que a análise BAT é capaz de prestar informação precisa de uma forma mais segura”, acrescenta. 
 
Contudo, os investigadores advertem que “apesar de a análise à ativação dos basófilos ter-se revelado como uma adição importante às ferramentas disponíveis para distinguir indivíduos alérgicos e não-alérgicos, assim como para prever a gravidades das reações alérgicas alimentares, atualmente esta análise apenas se encontra aprovada para fins de investigação”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.