Gorduras saturadas devem ser substituídas pelas insaturadas

Estudo publicado no “JAMA Internal Medicine”

08 julho 2016
  |  Partilhar:

O consumo de elevadas quantidades de gorduras insaturadas está associado a uma mortalidade mais baixa, sugere um estudo publicado no “JAMA Internal Medicine”.
 

O estudo conduzido pelos investigadores da Universidade de Harvard, nos EUA, sugere que a substituição de gorduras saturas, como a manteiga, banha e a gordura presente na carne vermelha, por gorduras de origem vegetal, como o azeite, pode fornecer benefícios substanciais para saúde e deve ser a mensagem principal das recomendações dietéticas.
 

Para o estudo os investigadores contaram com a participação de 126.233 indivíduos que responderem, a cada dois a quatro anos, a um questionário sobre a dieta, estilo de vida e saúde. Ao longo dos 32 anos do período de acompanhamento ocorreram 33.304 mortes. Foi analisada a relação entre o tipo de gordura consumida e as mortes ocorridas, bem como aquelas resultantes da doença cardiovascular, cancro, doença neurodegenerativa e doença respiratória.
 

Os investigadores constataram que as gorduras trans tinham o efeito adverso mais significativo na saúde. O aumento de 2% na ingestão deste tipo de gordura estava associado a um risco 16% maior de morte prematura, ao longo do período de acompanhamento. Um maior consumo de gorduras saturadas também foi associado a um maior risco de mortalidade. Comparativamente com o mesmo número de calorias ingeridas através dos hidratos de carbono, cada aumento de 5% de gordura saturada estava associado a um risco 8% maior de mortalidade global.
 

Por outro lado, a ingestão de elevadas quantidades de gorduras insaturadas (polinsaturadas e monoinsaturadas) estava associada a uma redução do risco da mortalidade entre 11 a 19%, comparativamente com o mesmo número de calorias consumidas através dos hidratos de carbono. Entre as gorduras polinsaturadas, tanto o ácido gordo ómega -6 (presente nos óleos vegetais) como o ácido gordo ómega-3 (presente no peixe e no óleo de soja) foram associados a um menor risco de morte prematura.
 

O estudo também apurou que os indivíduos que substituíam as gorduras saturadas por insaturadas apresentavam um risco significativamente menor de morte global, assim como de morte devido a doenças cardiovasculares, cancro, doença neurodegenerativa e doenças respiratórias, comparativamente com aqueles que mantiveram um consumo elevado de gorduras saturadas.
 

A substituição de gorduras saturadas por hidratos de carbono teve apenas um pequeno efeito na diminuição do risco da mortalidade.
 

“O nosso estudo mostra a importância da eliminação das gorduras trans e da substituição das gorduras saturadas pelas insaturadas (…). Na prática isto pode ser alcançado pela substituição de gorduras animais por óleos vegetais”, conclui um dos autores do estudo, Frank Hu.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.