Gorduras saturadas dessincronizam relógio biológico

Estudo publicado na revista “EBioMedicine”

11 abril 2016
  |  Partilhar:
O consumo de gorduras saturadas a determinadas horas do dia pode dessincronizar o relógio biológico e causar inflamação, sugere um estudo publicado na revista “EBioMedicine”.
 
O relógio biológico, que existe nas células de todo o organismo, regula o horário dos processos celulares importantes que são necessários para o funcionamento normal e ajuda a manter as respostas inflamatórias controladas.
 
Um dos autores do estudo, David Earnest, refere que quando esta organização horária é afetada há consequências, sendo este um fator que contribui para muitas doenças, especialmente as doenças metabólicas.
 
Por outro lado, a inflamação é considerada uma resposta protetora contra o aparecimento de danos ou bactérias invasoras. Contudo, a inflamação causada por dietas ricas em gordura contribui para o desenvolvimento da obesidade, diabetes tipo 2 e outras condições associadas à inflamação, como doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral e artrite reumatoide.
 
Estudos anteriores realizados pelos investigadores do Centro de Ciências da Saúde do Texas A& e do Texas A&M AgriLife, nos EUA, já tinham sugerido que uma dieta rica em gordura alterava o funcionamento do relógio biológico, afetando especificamente células que mediavam a inflamação. Os investigadores verificaram que o consumo de uma dieta rica em gorduras abrandava o relógio das células imunitárias. Agora, este estudo apurou que um tipo de gordura específico, um ácido gordo saturado denominado palmitato, é o grande culpado da dessincronização do relógio biológico.
 
Essencialmente, o palmitato provoca um jet lag nas células, de modo que algumas são reprogramadas para fusos horários diferentes. Os seres humanos são capazes de gerir este processo quando todo o organismo se move para um fuso horário diferente, mas a inflamação ocorre quando algumas células se movem para um determinado fuso e outras não. 
 
David Earnest compara este fenómeno à confusão que se desenvolveria se o relógio no escritório indicasse 14:00, o do computador 16:00, o relógio de pulso 14:30, e o relógio do telemóvel indicasse 13:00, que de facto era a hora correta. No entanto, a pessoa não saberia qual a hora correta. Isto é o que acontece no organismo, este fica confuso quando os vários tipos de células refletem diferentes "relógios".
 
Infelizmente, o palmitato é uma das gorduras saturadas de cadeia longa mais consumidas na dieta ocidental.
 
"A inflamação crónica é determinada pelas gorduras saturadas consumidas e pelo momento do dia em que estas são ingeridas", explicou o investigador
 
Os resultados sugerem que o melhor momento para comer uma refeição rica em gordura é no início da manhã e, provavelmente, o pior momento é a noite. Assim, não é apenas o que se come, mas também quando se come que é importante.
 
O estudo demonstrou ainda que determinadas gorduras polinsaturadas, como o ácido docosa-hexaenóico, e os anti-inflamatórios têm efeitos protetores na altura em que as gorduras saturadas causam a inflamação máxima e na reprogramação dos relógios biológicos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.