Gordura abdominal aumenta risco de hipertensão

Estudo publicado no “Journal of the American College of Cardiology”

05 setembro 2014
  |  Partilhar:

Os indivíduos com gordura em torno da área abdominal apresentam um elevado risco de desenvolver hipertensão, comparativamente com indivíduos com índices de massa corporal idênticos, mas com uma concentração de gordura noutras zonas corporais, revela um estudo publicado no “Journal of the American College of Cardiology”.
 

A obesidade é um fator de risco conhecido da hipertensão. Há já algum tempo que se sabe que a localização da gordura no organismo pode conduzir a um aumento do risco de alguns problemas de saúde, como é o caso da doença cardíaca e cancro. Contudo, a relação entre a hipertensão e o local específico da acumulação de gordura ainda não está clara.
 

De forma a tentar clarificar esta relação, os investigadores da Universidade do Texas, nos EUA, contaram com a participação de 903 pacientes, cuja pressão arterial foi monitorizada ao longo de sete anos. A hipertensão foi classificada como uma pressão arterial sistólica igual ou superior a 140 mmHg e pressão arterial diastólica superior ou igual a 90 mmHg, ou início da toma de medicamentos para o tratamento desta condição.
 

Os pacientes foram também submetidos a exames imagiológicos para localização da gordura visceral (gordura localizada na cavidade abdominal entre órgãos), gordura subcutânea (gordura localizada em todo o organismo) e ainda baixo teor de gordura.
 

O líder do estudo, Aslan T. Turer, referiu que o armazenamento da gordura visceral está associado a um corpo em forma de maçã, em oposição ao corpo em forma de pera, assim ”a gordura central localizada tende a estar a associada a elevados níveis de gordura no abdómen”.
 

No final do estudo, 25% dos pacientes tinham desenvolvido hipertensão. Verificou-se que o índice de massa corporal estava associado a um aumento da incidência da hipertensão. Contudo, quando a gordura abdominal, o conteúdo total de gordura e um baixo teor de gordura foram tidos em conta, apenas a gordura visceral foi independentemente associada à hipertensão. A relação entre este tipo de gordura e a hipertensão não variou mesmo quando os investigadores tiveram em conta o sexo, a idade e a raça dos participantes.
 

O estudo apurou que a relação mais forte entre a gordura abdominal e a hipertensão foi observada com a gordura retroperitoneal, um tipo de gordura visceral que está localizada atrás da cavidade abdominal em torno dos rins.
 

“A elevada incidência de hipertensão e a presença de gordura retroperitoneal sugere que os efeitos da gordura em torno dos rins estão a influenciar o desenvolvimento de hipertensão. Esta relação pode abrir novas portas para a prevenção e controlo da hipertensão”, conclui o investigador.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.