Gene poderá aumentar risco cardiovascular em diabéticos

Estudo publicado na revista JAMA

30 agosto 2013
  |  Partilhar:

Uma equipa de investigadores descobriu um tipo específico de gene que, estando presente em pessoas com diabetes tipo 2, poderá aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

 

Descoberta pela Harvard School of Public Health e a Joslin Diabetes Center em Boston, EUA, essa variante genética poderia aumentar o risco de doença cardiovascular em cerca de um terço, em pessoas com diabetes tipo 2. As pessoas com diabetes tipo 2 apresentam já um risco quatro vezes maior de sofrerem de doenças cardiovasculares do que as que não têm diabetes. Mais, as doenças cardiovasculares constituem a principal causa de morte nos mais de 370 milhões de pessoas com diabetes de tipo 2 no mundo inteiro.

 

Para o estudo, a equipa analisou dados recolhidos de 4.100 pessoas com diabetes de tipo 2, tendo um terço destas pessoas doenças cardiovasculares. A equipa testou mais de 2,5 milhões de variantes genéticas e descobriu que uma variação localizada perto do gene GLUL está consistentemente associada a um aumento de 36% no risco de doença cardiovascular.

 

Lu Qi, autor principal do estudo, e professor assistente no departamento de nutrição da Harvard School of Public Health, considera que “esta é uma descoberta muito intrigante porque esta variante não foi encontrada em estudos anteriores de associação de genomas na população geral”. O investigador conclui assim que “isto significa que os fatores de risco genético para as doenças cardiovasculares poderão ser diferentes para quem tem e quem não tem diabetes”.

 

Esta descoberta vem aumentar o conhecimento sobre a ligação entre a diabetes e as doenças cardiovasculares. Jason Kovacic, professor assistente de medicina do Mount Sinai Medical Center em Nova Iorque, EUA, nota que “não só (os investigadores) encontraram um novo gene que está ligado à doença coronária, mas identificaram que esse gene só irá aumentar o risco de doença coronária se o paciente tiver também diabetes – em pessoas sem diabetes este gene não produz efeito”.

 

O médico considera que este estudo constitui uma novidade no que diz respeito à noção que a diabetes e outros fatores “podem alterar o impacto de qualquer alteração genética com a hipótese de provocarem um AVC ou enfarte. Esta é uma linha de pesquisa importante para os anos que se seguem”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.