Gene determina sucesso dos transplantes de medula

Trabalho publicado na revista “Blood”

25 abril 2007
  |  Partilhar:

 

Investigadores do Instituto Catalão de Oncologia, Espanha, identificaram uma variante genética que condiciona a resposta do sistema imunitário dos doentes de Leucemia ao Transplante de Medula Óssea. O trabalho vem publicado na revista “Blood”.
 

 

Os cientistas analisaram 536 transplantes de medula procedentes de irmãos dos doentes em 19 hospitais espanhóis, noticia a agência EFE. O estudo refere que a sobrevivência do transplantado varia com a variante do gene do dador.
 

 

O tratamento da Leucemia baseia-se em Quimioterapia, para matar as células doentes na medula óssea, (onde são produzidas as células do sangue), e num transplante de medula, (para a repovoar com células estaminais do sangue saudáveis).
 

 

No entanto, a resposta é variável: em metade dos casos surgem complicações. O trabalho dos investigadores espanhóis centra-se no gene CTLA-4 e poderá explicar essas diferenças.
 

 

Existem cinco formas alternativas do gene, que leva a proteína - cuja produção comanda – a ser mais ou menos activa.
 

 

Os investigadores descobriram que, dependendo da variante que o dador tem, a sobrevivência dos doentes de Leucemia oscila entre 56 e 70%. A confirmarem-se estes resultados, "deverá analisar-se o gene CTLA-4 do dador antes de levar a cabo o transplante", escrevem os cientistas.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

MNI- Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.