Futebol fornece mais agilidade aos pacientes com paralisia cerebral

Investigação da Universidade do Porto

10 fevereiro 2017
  |  Partilhar:
A prática de futebol por pacientes com paralisia futebol aumenta a agilidade dos movimentos e uma mais rápida ativação dos músculos, quando comparados com indivíduos sedentários com a mesma condição, de acordo com um estudo da Universidade do Porto.
 
Cláudia Cardoso, da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (FADEUP), refere que estas diferenças se notam, principalmente, nos quadríceps (músculos na parte da frente das coxas) e nos músculos distais (rácio tibial anterior - músculo da perna que se estende na parte lateral da tíbia).
 
"A lesão do sistema nervoso central, como o caso da paralisia cerebral, provoca um atraso na capacidade de preparação para o movimento (denominado feddforward)", explicou à agência Lusa a investigadora acrescentando que esse foi o ponto de partida para o estudo.
 
Os dados do estudo, na qual participaram indivíduos com diagnóstico de paralisia cerebral com idades compreendidas entre os 18 e os 40 anos, foram recolhidos no Laboratório de Biomecânica da Universidade do Porto (LABIOMEP), localizado na FADEUP.
 
Os participantes foram divididos em dois grupos, sendo o primeiro constituído por praticantes de futebol - equipa de futebol na instituição Futebol Clube do Porto - e o segundo por elementos que não realizavam qualquer atividade desportiva regular - utentes da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral (APPC).
 
No princípio da época foi realizada uma recolha inicial e outra após quatro meses. Ao longo desse período, os atletas realizaram treinos três vezes por semana, com a duração de uma hora e trinta minutos, sempre com o mesmo treinador.
 
A atividade muscular dos participantes foi avaliada através de eletromiografia, tecnologia que permite uma leitura do padrão de ativação dos músculos selecionados para o estudo.
 
Este projeto surgiu a partir do gosto pessoal da investigadora por desporto, mais propriamente por futebol, e pela necessidade de ver divulgada a prática desportiva em indivíduos portadores de deficiência e o benefício da mesma na população em questão.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar