Fundação Portuguesa de Cardiologia aposta na prevenção

Perindopril, exercício físico, chá e os malefícios do sal em destaque no 3º Simpósio

30 outubro 2001
  |  Partilhar:

A importância da prática de exercício físico, os benefícios do chá, a redução do consumo do sal, a terapêutica da pressão arterial na redução do AVC (acidente vascular cerebral) e, ainda, apresentação de um estudo bastante revelador sobre o perfil lipídico da população portuguesa foram os principais destaques do 3º Simpósio Anual da Fundação Portuguesa de Cardiologia.
 

 

A prevenção é a principal forma de combate da doença cardiovascular que, segundo dados estatísticos de 1999, é a primeira causa de morte e incapacidade em Portugal. Os números são assustadores: dos 108.268 óbitos registados no país, em 1999, 41.998 faleceram devido a doenças cardiovasculares (38,8% dos óbitos).
 

 

Isto significa que, naquele ano, morreram cerca de 5 pessoas (mais precisamente 4,78) em cada hora por causa da doença cardíaca. Destes 41.998, cerca de 50% faleceram devido ao AVC (mais precisamente 21.617 pessoas), dos quais 42,7% eram homens e 52,7% mulheres).
 

 

 

Perindopril
 

 

 

No ano em que a FPC comemora o seu 22º aniversário, a prevenção foi a tónica deste simpósio que reuniu especialistas nacionais e estrangeiros.
 

 

Dos vários estudos apresentados, destaque para os resultados do PROGRESS, um estudo de prevenção que mostrou, num período de cinco anos, que graças à terapêutica para a redução da pressão areterial baseada em perindopril é possível reduzir a ocorrência de um segundo AVC em 28% e de outros eventos cardíacos em 38%.
 

 

Os resultados do estudo indicaram que uma em cada 18 pessoas que sofreram um AVC e a quem lhe foi administrado perindopril, com ou sem o diurético, indapamida, evitaram tanto o ataque cardíaco, como a morte ou um segundo AVC durante os cinco anos de tratamento.
 

 

 

Sal
 

 

Na abertura do simpósio foi apresentado um estudo sobre o sal e a sua relação com a hipertensão arterial que continua a ser um dos temas dominantes quando se fala na prevenção das doenças cardiovasculares, na medida em que se trata de um agente que contribui para a hipertensão e, esta por sua vez, constitui um factor de risco cardiovascular.
 

 

Exercício físico
 

 

A importância da prática de exercício físico na prevenção da doença cardiovascular foi, de igual modo, um tema debatido pelos especialistas.
 

 

A prática regular de uma actividade física ou simplesmente andar a pé constitui um factor de prevenção das doenças do coração. Recorde-se que 90% da população portuguesa sabe que o exercício físico faz bem mas, no entanto, não pratica qualquer actividade física.
 

 

Chá
 

 

Os benefícios do chá na prevenção da doença cardíaca, foi outro dos estudos apresentados. Anton Rietveld falou dos benefícios do consumo de chá na prevenção das doenças cardiovasculares, mais concretamente, dos flavenóides e dos antioxidantes, substâncias que estão presentes no chá.
 

 

População portuguesa
 

 

Um estudo recente sobre o perfil lipídico da população portuguesa realizado pela Fundação Portuguesa de Cardiologia em colaboração com o Instituto de Alimentação Becel foi outro dos trabalhos apresentados neste simpósio. Este estudo demonstrou que os portugueses têm colesterol elevado, triglicéridos elevados, excesso de peso e praticam pouco exercício físico.
 

 

O estudo também concluiu que, na generalidade, os portugueses estão muito bem informados sobre as doenças cardiovasculares e os seus factores de risco, mas não põem em prática os conhecimentos que têm sobre o assunto, assumindo uma atitude de prevenção face à doença cardíaca.
 

 

Adaptado por: MNI - Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.