Fumo passivo associado a hipertensão arterial

Estudo apresentado no congresso EuroHeartCare 2019

07 maio 2019
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores apurou que a exposição a ambientes com fumo de tabaco está associada à hipertensão arterial.
 
“Evite a exposição a fumo passivo, independentemente de o fumador estar ainda ou não no compartimento”, recomendou Byung Jin Kim, investigador da Universidade de Sungkyunkwan em Seul, da Coreia do Sul. 
 
O investigador e colegas conduziram um estudo que contou com a participação de 131.739 não-fumadores, com uma média de 25 anos de idade, um terço dos quais eram homens. 
 
A equipa pretendia avaliar a associação entre o fumo passivo e a hipertensão em não-fumadores através dos níveis de cotinina na urina. A cotinina é o principal metabolito da nicotina.
 
O estudo concluiu que a exposição a fumo passivo em casa ou no trabalho estava associado a um risco 13% mais elevado de hipertensão. Viver com um fumador após os 20 anos de idade foi associado a um risco 15% mais elevado. A exposição a fumo passivo durante 10 ou mais anos foi relacionado com um aumento de 17% no risco da doença. O risco verificou-se em ambos os sexos.
 
A investigação concluiu ainda que os participantes com hipertensão eram mais propensos a estarem expostos a fumo passivo em casa ou no trabalho (27,9%) do que os que tinham tensão arterial normal (22,6%). 
 
A hipertensão era significativamente mais comum em pessoas expostas a fumo passivo em casa ou no trabalho (7,2%) em comparação com a não exposição (5,5%).
 
“O nosso estudo com não-fumadores demonstra que o risco de tensão arterial elevada (hipertensão) é superior com uma maior duração de fumo passivo – mas mesmo as quantidades mais baixas são perigosas”, concluiu Byung Jin Kim.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar