Fumo do cigarro envelhece zonas da pele não expostas ao sol

Estudo publicado na revista " Archives of Dermatology"

03 abril 2007
  |  Partilhar:

 

Cientistas norte-americanos descobriam que o fumo do cigarro não só acelera o envelhecimento da pele em zonas que recebem a luz solar como também nas que estão ocultas. As conclusões constam de um estudo publicado na revista " Archives of Dermatology ".
 

 

A investigação da University of Michigan, EUA, determinou que o fumo do cigarro foi um factor potenciador de lesões cutâneas em zonas como a parte superior interna ou a inferior das nádegas.
 

 

Os investigadores chegaram a esta conclusão depois de desenvolveram uma escala de nove pontos para medir o grau de envelhecimento da área interna da pele dos braços de 77 participantes. Os cientistas avaliaram as fotografias e atribuíram graus em que o zero representava nenhuma ruga e oito rugas finas e graves. Também reviram fotografias dos participantes um ano depois e atribuíram graus para determinar o nível de aumento das lesões.
 

 

Nas entrevistas, os cientistas reuniram informações sobre os participantes que incluíram a sua idade, grupo étnico, história de consumos de cigarros, uso de anti-inflamatórias não esteróides, uso de suplemento de dietas e de ervas, exposição à luz solar e, no caso das mulheres, o número de filhos, tratamentos hormonais e anticoncepcionais.
 

 

As pessoas que participaram no estudo eram fumadoras ou tinham-no sido durante uma média de 24 anos. Em geral, entre os participantes maiores de 45 anos, o grau de envelhecimento da pele foi consideravelmente mais alto entre fumadores do que entre não fumadores.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

MNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.