Fumadores são mais propensos a sofrer ruptura de aneurisma

Estudo apresentado na conferência internacional da American Stroke Association

04 março 2010
  |  Partilhar:

O tabagismo aumenta o risco de uma ruptura de aneurisma em pessoas com predisposição genética, afirma um estudo apresentado na conferência internacional da American Stroke Association, nos EUA.

 

O estudo faz parte de um projecto denominado Familial Intracranial Aneurysm (FIA), uma colaboração multinacional financiada pelo National Institutes of Neurological Disorders and Stroke, dos EUA, com o objectivo de estudar a genética e outros factores de risco em famílias em que, pelo menos, dois membros foram afectados por aneurisma intracraniano.

 

No estudo, liderado por Joseph Broderick, da Universidade de Cincinnati, foi constatado que as probabilidades de ter um aneurisma intracraniano aumentaram entre 37% a 48% em indivíduos que tinham uma variação genética, previamente identificada de risco, numa cópia do gene. Mas, quando a presença dessa variação genética foi combinada com o hábito de fumar o equivalente a um maço de tabaco por dia, durante 20 anos, o risco aumentou mais de cinco vezes. Em pessoas portadoras de duas cópias do gene com variação genética, o risco de apresentar um aneurisma era ainda maior, refere o comunicado enviado à imprensa, sem, contudo, indicar qual o valor do aumento.

 

Os cientistas compararam a frequência de aneurismas em 406 pacientes da FIA com um grupo de controlo composto por 392 indivíduos de famílias que não tinham esse problema, todos naturais da região de Cincinnati, sendo 82,5% fumadores ou ex-fumadores. Cerca de 22% dos indivíduos do grupo de controlo apresentavam pelo menos uma cópia da variante genética do cromossoma 8 e 73% tinham pelo menos uma cópia da variante do cromossoma 9.

 

No estudo, os cientistas afirmam que o tabagismo é a principal causa de aneurisma intracraniano. Entre 70% a 80% dos casos de aneurismas ocorrem em indivíduos que são ou foram fumadores.

 

Os autores do estudo não recomendam, por enquanto, a realização de um teste genético para aferir se as pessoas são ou não potenciais vítimas da patologia, mas aconselham todos os membros da família de pessoas que tiveram um aneurisma intracraniano a parar de fumar.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.