Frutos secos de casca rija são benéficos para a saúde

Estudos apresentados no Experimental Biology Meeting

29 abril 2013
  |  Partilhar:

O consumo de frutos secos de casca rija, particularmente os oriundos de árvores, são benéficos para a saúde, são as conclusões de três estudos apresentados no encontro Experimental Biology Meeting, que decorreu em Boston, EUA, entre 20 e 24 de abril de 2013.
 

Segundo os resultados daqueles três estudos, os frutos secos de casca rija oriundos de árvores, quando consumidos regularmente estão associados a um melhor perfil nutricional e a uma dieta de qualidade superior, a um menor peso corporal, a uma prevalência reduzida da síndrome metabólica e a um decréscimo nos fatores de risco cardiovasculares.
 

O consumo de uma porção (28 gramas) diária de frutos secos de casca rija oriundos de árvores revelou, num estudo conduzido pela Loma Linda University e que incidia sobre o risco da síndrome metabólica (MetS) um decréscimo de 7% na ocorrência desta mesma síndrome, independentemente de fatores demográficos, de estilo de vida e de outros relativos à dieta seguida.
 

Um estudo conduzido pela Louisiana State University Agricultural Center, EUA, baseado numa sondagem sobre saúde e nutrição e que contou com a participação de 14.386 adultos, revelou que os participantes que consumiam frutos secos de casa rija oriundos de árvores (considerados como aqueles que num período de 24 horas tinham consumido 7 gramas dos mesmos) apresentavam  maiores valores em termos de ingestão diária de calorias, de fibra, potássio, magnésio, gordura monoinsaturada, colesterol HDL (o colesterol bom) ácidos gordos polinsaturados, quando comparados com os não consumidores. Adicionalmente, os consumidores deste tipo de frutos secos apresentavam menores valores em termos de açúcares adicionados, gordura saturada, sódio, peso corporal e pressão arterial sistólica em comparação com os não consumidores.
 

O terceiro estudo apresentado no encontro em Boston debruçou-se sobre diversos marcadores relativos ao risco de doenças cardiovasculares. Os investigadores da University of Toronto e do St. Michael’s Hospital, também em Toronto, Canadá, estudaram também a associação entre o consumo de frutos secos como substituto dos hidratos de carbono em pessoas com diabetes. Os resultados revelaram que o consumo de cerca de 50 gramas diários destes alimentos melhorava o controlo glicémico e os lípidos do sangue nas pessoas com diabetes do tipo 2. Verificou-se também um acréscimo nos ácidos gordos monoinsaturados e um decréscimo no colesterol total, bem como no LDL (o mau colesterol), na pressão arterial e no risco de doenças do coração.

 

Para se conseguir os benefícios mencionados, recomenda-se o consumo de cerca de 40 gramas diários de frutos secos de casca rija oriundos de árvores.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.