Fruta reduz risco de doença cardiovascular em 40%

Estudo da Universidade de Oxford

04 setembro 2014
  |  Partilhar:

O consumo diário de fruta reduz o risco de doenças cardiovasculares em 40%. O estudo apresentado no Congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia sugere que quanto mais fruta é ingerida, menor é a probabilidade de sofrer de uma destas patologias.
 

“A doença cardiovascular, incluindo a doença cardíaca isquémica e o acidente vascular cerebral, é a principal causa de morte em todo o mundo. Melhorar a dieta e estilo de vida é fundamental para diminuir o risco de doença cardiovascular na população geral” revelou, em comunicado de imprensa, uma das autoras do estudo, Du Huaidong.
 

Para o estudo, os investigadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, contaram com a participação de 451.681 indivíduos sem antecedentes de doença cardiovascular ou tratamento anti-hipertensivo. Os indivíduos eram oriundos de 10 zonas distintas da China: cinco urbanas e cinco rurais. O consumo de fruta foi registado de acordo com cinco categorias: nunca, mensalmente, um a três dias por semana, quatro a seis dias por semana e diariamente.
 

Ao longo de um período de acompanhamento de sete anos, foram observados 19.300 casos de doença cardíaca isquémica e 19.689 acidente vascular cerebral (AVC). Aproximadamente 18% dos participantes consumia fruta diariamente e 6,3% nunca ingeria este tipo de alimento. A quantidade média de fruta consumida pelos consumidores diários foi de 1,5 porções, cerca de 150 gramas.
 

O estudo apurou que comparativamente com os indivíduos que nunca ingeriam fruta, os que a consumiam diariamente reduziram o risco de doença cardiovascular entre 25 a 40% (cerca de 15% para a doença cardíaca isquémica, 25% para o AVC isquémico e 40% para AVC hemorrágico).
 

“O nosso estudo demonstrou claramente que o consumo de fruta fresca pode reduzir o risco de doença cardiovascular, incluindo doença cardíaca isquémica e AVC. Quanto mais fruta se come maior é a diminuição do risco de doença cardiovascular”, referiu a investigadora.
 

O estudo apurou ainda que os indivíduos que comiam mais fruta tendiam a ter uma pressão arterial significativamente mais baixa. Comparativamente com os indivíduos que nunca consumiam fruta, os que a ingeriam diariamente apesentavam uma diminuição de pressão sistólica/diastólica de 3,4/4,1 mmHg.
 

Os investigadores constataram também que o consumo de fruta era benéfico para os pacientes com doença cardiovascular ou hipertensão. Comparativamente com os indivíduos que nunca ingeriam fruta, aqueles que consumiam diariamente reduziram o seu risco de morte em 32%.

 

“Os pacientes com doença cardiovascular e hipertensão deveriam ser encorajados a comer mais fruta fresca. Muitas populações ocidentais tiveram uma rápida diminuição de mortalidade por doença cardiovascular nas últimas décadas, devido a razões que ainda não foram completamente esclarecidas. O aumento do consumo de fruta pode ter contribuído de forma importante para esta diminuição”, conclui um outro autor do estudo, Zhengming Chen.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.