França vai estimular automedicação para doenças leves

Medida pretende reduzir gastos orçamentais

04 janeiro 2007
  |  Partilhar:

 

Depois de alcançar o mais baixo índice de automedicação da Europa, o governo francês vai passar a estimular os pacientes com doenças leves, como febre, dores de garganta, de cabeça e de estômago, a procurar nas farmácias - e não nos médicos – o tratamento para os seus problemas.
 

 

A medida controversa foi elaborada pelo Ministério da Saúde francês e visa a redução de gastos com o reembolso dos medicamentos, cujo custo é coberto pelo Estado em pelo menos 75%.
 

 

A proposta, baseada num relatório elaborado pelos médicos e investigadores Alain Coulomb e Alain Baumelou, deve ser aprovada em Fevereiro pelo governo, a pedido do ministro da Saúde, Xavier Bertrand.
 

 

O intuito oficial é reduzir o fluxo de doentes aos hospitais e baixar o investimento público na compra de medicamentos. Em França, a maioria dos fármacos de Prescrição Médica Facultativa (PMFs) é paga pelo paciente no acto da compra - na farmácia - e reembolsada depois.
 

 

O Ministério da Saúde limita em 6% o número de fármacos de venda livre, uma orientação seguida à risca pelas farmácias do país. Na Grã-Bretanha, a mesma lista é composta por 12% dos medicamentos, enquanto na Alemanha a percentagem chega a 14% e em Espanha, a 15%.
 

 

De acordo com a indústria farmacêutica francesa, o mercado de PMFs comprados pelo público, que poderia chegar a 6 biliões de euros, limita-se a 1,6 bilião. A Associação Francesa da Indústria Farmacêutica estima que, se a prescrição de medicamentos livres de prescrição subisse 5%, o governo economizaria 2,5 biliões. A indústria, por outro lado, passaria a lucrar mais, depois de autorizada a fazer publicidade nos meios de comunicação, outra medida prevista no relatório.
 

 

 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.