Framboesas ajudam a prevenir o cancro e doenças inflamatórias

Estudo publicado no “Journal of Cellular Biochemistry”

26 fevereiro 2016
  |  Partilhar:

O consumo de framboesas, um fruto vermelho que apresenta elevadas quantidades de polifenóis, pode ajudar a prevenir doenças inflamatórias, retinopatia diabética ou cancro, refere um estudo publicado no “Journal of Cellular Biochemistry”.
 

O estudo realizado pelos investigadores da Universidade do Porto apurou que a ingestão de compostos bioativos da framboesa, com as suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, melhora a capacidade das pessoas em evitar doenças inflamatórias e o cancro do cólon ou da mama, por exemplo.
 

“Aquilo que os resultados demonstram de uma forma consistente no nosso modelo celular é que os compostos bioativos que estão presentes na framboesa (polifenóis) comprovam que existe uma enorme potencialidade de modelação da atividade biológica por interação com o ambiente e, neste caso quanto maior for o consumo deste alimento, teoricamente maior a nossa capacidade de evitarmos doenças como inflamações e o cancro”, explica à agência Lusa um dos investigadores, Mário Sousa Pimenta.
 

O estudo analisou os efeitos dos polifenóis, compostos bioativos presentes na framboesa e que têm potencial anti-inflamatório e antioxidante, na modulação da formação de novos vasos sanguíneos  (angiogénese). Verificou-se que os polifenóis da framboesa e de outros frutos vermelhos com cor intensa apresentam um potencial de inibir a angiogénese, ou seja, tem potencial para inibir a formação de novos vasos sanguíneos, proliferação de células que revestem as paredes dos vasos sanguíneos e evitar a sua capacidade migratória das células.
 

Segundo Mário Sousa Pimenta, dos resultados obtidos no ensaio experimental, os polifenóis da framboesa e de outros frutos vermelhos com cor intensa apresentam “um potencial de inibir a angiogénese, ou seja, tem potencial para inibir a formação de novos vasos sanguíneos, proliferação de células que revestem as paredes dos vasos sanguíneos e evitar a sua capacidade migratória das células”.
 

A retinopatia diabética, doença oftalmológica associada à diabetes e a causa mais frequente de cegueira adquirida, traduz-se precisamente por um aumento da produção de vasos sanguíneos. Com este estudo, “teoricamente nós inibimos a angiogénese e podemos impedir uma das consequências da diabetes”, referiu Mário Sousa Pimenta
 

O consumo de polifenóis ajuda as pessoas a protegerem-se do cancro, da metastização do cancro, e de doenças inflamatórias, reiterou o médico, referindo que dados do estudo concluem também que se registaram "alterações de citoesqueleto", que tem um função de suporte das células e do movimento.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.