Fobias e medos ultrapassados com jogos

Cientistas descobrem método eficaz

17 novembro 2003
  |  Partilhar:

Os jogos de vídeo - em televisão ou no computador – podem ser um método eficaz para tratar de fobias.
 

A afirmação foi feita recentemente por investigadores da Universidade de Quebeque, Canadá, que descobriram durante um trabalho de investigação que os jogos de vídeo podem ser um estilo de terapia que expõe as pessoas àquilo que as assusta, porém num ambiente controlado.
 

 

A estudo, publicado na edição de Outubro do jornal «CyberPsychology and Behavior», ainda revela que os jogos que permitem aos utilizadores construírem e mudarem os cenários são tão eficazes no estimulo de reacções a fobias quanto máquinas de simulação que podem custar quatro vezes mais.
 

 

As pessoas com fobias normalmente são tratadas com terapias de exposição. E, para tal, passam cada vez mais tempo em cenários que as assustam para tentar superar o medo.
 

 

Os investigadores usaram o jogo «Half-Life» para criar um cenário cheio de aranhas para aracnofóbicos, e o «Unreal Tournament» para simular alturas elevadas e lugares apertados para os claustrofóbicos.
 

 

De acordo com os autores do estudo, os resultados do estudo demonstram que apesar do baixo custo e da flexibilidade, os jogos podem acabar com os medos das pessoas. Além disso, dizem os cientistas, os cenários virtuais dos jogos de vídeo são capazes de produzir níveis médios de ansiedade, muito usados em terapias.
 

 

Os investigadores analisaram um grupo de 26 pessoas, sendo que apenas metade delas sofria de alguma fobia. Se quiser ler o estudo integral, consulte http://www.uqo.ca/cyberpsy/
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.