Flavonoides podem ajudar na manutenção do peso

Estudo publicado no “The BMJ”

01 fevereiro 2016
  |  Partilhar:
O consumo de frutas e vegetais que contêm níveis elevados de flavonoides, como as maçãs, pêras e frutos vermelhos, pode estar associado a um menor aumento de peso, sugere um estudo publicado no “The BMJ”.
 
Os flavonoides dietéticos são compostos naturais que podem ser encontrados nas frutas e vegetais. Apesar deste tipo de compostos já terem sido associados à perda de peso, a maioria dos estudos realizados até à data focou-se num flavonoide específico encontrado no chá verde. Adicionalmente os estudos têm incluído amostras pequenas.
 
Neste estudo uma equipa de investigadores internacional decidiu analisar a associação entre o consumo de sete subclasses de flavonoides e a alteração de peso em 124.086 indivíduos, ao longo de 24 anos. 
 
Os participantes foram convidados a preencher um questionário, a cada dois anos, relativamente aos hábitos de estilo de vida, peso e qualquer doença diagnosticada recentemente. A cada quatro anos forneceram também informações relativas à dieta.
 
O estudo apurou que o aumento do consumo das sete subclasses de flavonoides estava associado a um menor aumento de peso. Os flavonoides que tiveram um maior efeito foram as antocianinas, flavonoides, polímeros e flavonoles. Os indivíduos que consumiram este tipo de flavonoides ganharam menos 0,07 a 0,10 kg durante os intervalos de quatro anos.
 
Os mirtilos e os morangos foram as principais fontes de antocianinas, e flavan-3-ols e os seus polímeros foram principalmente derivados do chá e maçãs. O sumo de laranja e as laranjas foram as principais fontes de flavonoides e flavonas, enquanto o chá e cebolas foram as principais fontes de flavonoles.
 
Os resultados mantiveram-se inalterados mesmo após os investigadores terem tido em conta fatores como hábitos tabágicos e prática de atividade física.
 
Os investigadores, liderados por Aedín Cassidy, referem que como este é um estudo observacional não podem ser feitas conclusões definitivas. No entanto, estes achados "podem ajudar a refinar as recomendações dietéticas anteriores para a prevenção da obesidade e suas potenciais consequências”.
 
Adicionalmente os autores do estudo defendem que a perda de peso pode reduzir o risco de diabetes, cancro, hipertensão e doença cardiovascular.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.