Filmes pornográficos excitam pandas

Cientistas tentam despertar sexualidade em cativeiro

25 julho 2002
  |  Partilhar:

É famosa a dificuldade que os zoólogos enfrentam para motivar os pandas a reproduzirem-se e, deste modo, evitar a extinção desse animal. Brinquedos como bolas de plástico e até Viagra já foram usados para estimular o apetite sexual dos ursos.
 

 

Mas, as tentativas de reprodução de pandas em cativeiro parecem nunca dar certo. Isto porque, fora do seu habitat natural, os pandas mostram pouco uma excessiva timidez e pouco interesse sexual. Por isto, a população selvagem permanece inalterada há várias décadas.
 

 

Com o intuito de estimular o apetite dos animais, várias reservas de pandas da China intensificam esforços para despertar a sexualidade adormecida dos hóspedes.
 

 

Depois de muitas experiências, agora os zoólogos tentam uma outra: a exibição de vídeos pornográficos para os animais, duas vezes por dia. Dizem os especialistas que o tratamento de choque já começa a funcionar.
 

 

Ao longo dos últimos meses, Didi, um macho de seis anos que vive no centro de criação de pandas de Wolong, tem vindo a ser submetido ao tratamento de «educação sexual intensiva». E para espanto dos muitos que já não acreditavam na recuperação do animal, Didi tem apresentado uma libido mais forte e espera-se, inclusive, que consiga reproduzir-se ainda este ano, refere a reportagem publicada na agência de notícias "Nova China".
 

 

Desinteresse fatal
 

 

Os pandas chineses que vivem em cativeiro perdem totalmente o interesse pela cópula, o que levou os cientistas chineses a fazerem todo tipo de propostas destinadas a despertar o desejo adormecido dos animais com o intuito de evitar a extinção da espécie.
 

 

As propostas incluem até mesmo o recurso ao viagra e de outros medicamentos ocidentais ou receitas da medicina tradicional chinesa consideradas afrodisíacas, mas até agora nenhum tratamento teve resultados satisfatórios.
 

 

Segundo os cientistas chineses, mais de 60 por cento dos pandas adultos deixam de mostrar qualquer interesse por sexo, e apenas 10 por cento deles são capazes de cruzamento natural.
 

 

Dois anos depois das primeiras experiências de tratamento com vídeos que exibem os actos sexuais de outros pandas, o grande centro de criação de pandas de Chengdu (sudoeste da China) organizou uma «educação sexual» sistemática, que inclui exercícios físicos e a exibição de vídeos pornográficos para os pandas machos duas vezes por dia.
 

 

«Com esse tipo de educação esperamos reactivar o desejo sexual dos pandas, reforçar sua capacidade de copular naturalmente e aumentar a capacidade de reprodução», afirmou Zhang Hemin, director do centro, que se recusa a tratar os bichos com viagra ou qualquer outro medicamento.
 

 

Os pandas gigantes são uma espécie em via de extinção e em geral não vivem mais de 30 anos. Os cientistas estimam em mil o número de pandas que vivem em seu habitat natural, nos bosques das montanhas do sudoeste da China. Cerca de 120 pandas vivem em jardins zoológicos na China e 20, em zoológicos no exterior, todos com grande dificuldade para se reproduzirem.
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.