Festas académicas afectam fertilidade masculina

Estudo realizado pela Universidade de Aveiro e pela Ferticentro

22 novembro 2010
  |  Partilhar:

A concentração e a morfologia dos espermatozóides, que afecta a fertilidade masculina, são influenciados pelos abusos que os jovens universitários cometem durante as festas académicas, revela um estudo realizado pelo Centro de Biologia Celular da Universidade de Aveiro e pela Ferticentro, uma clínica especializada no tratamento de infertilidade.
 

No estudo, que contou com a participação de 60 estudantes das universidades de Aveiro (UA) e de Coimbra, foi feita a colheita de espermatozóides dos voluntários antes e depois das festas académicas, realizadas este ano. Adicionalmente os estudantes responderam ainda a um inquérito sobre o que beberam e fumaram, durante este período.
 

O coordenador do laboratório da Ferticentro, Vladimiro Silva concluiu que durante a semana académica o consumo de álcool aumentou sete vezes e, no caso do tabaco, o aumento foi de 1,7 vezes. O investigador constatou que após os festejos, os estudantes "passaram a ter menos espermatozóides".
 

"Antes e depois da semana académica, passámos de uma situação em que a média era de 65 milhões para 40 milhões de espermatozóides, o que representa uma diminuição bastante significativa de mais de 30%", revelou o Vladimiro Silva em declarações à agência Lusa, adiantando que, ainda assim, os valores registados "continuam acima dos valores de referência para aquilo que é considerado normal".
 

Contudo, foram observados casos de diminuições de espermatozóides "bastante radicais". Tivemos situações que tinham um espermograma normal e, depois da semana académica, deixaram de o ter, exibindo valores muito baixos e alguns até com níveis preocupantes", acrescentou.

O estudo detectou também um aumento da percentagem de "espermatozóides anormais"."Detectámos um aumento dos espermatozóides com alterações morfológicas, nomeadamente ao nível da cabeça, cauda ou da peça intermédia, que, de um modo geral, estão associados a incapacidades de fecundação", explicou o mesmo responsável.
 

Os investigadores pretendem continuar com este estudo para o ano, envolvendo novos voluntários das Universidades de Aveiro e Coimbra.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

 

Partilhar:
Classificações: 2Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.