Fenciclidina usada em estudo para tratamento da Esquizofrenia

Estudo apresentado na PNAS

24 outubro 2007
  |  Partilhar:

 

Uma experiência efectuada com a substância fenciclidina pode abrir novas vias de tratamento para a Esquizofrenia, dado que a doença apresenta os mesmos sintomas que os provocados por esta substância química.
 

 

O artigo foi publicado na revista "Proceedings of National Academy of Sciences" (PNAS).
 

A pesquisa, realizada pelo Instituto de Pesquisas Biomédicas de Barcelona, descreve os efeitos da fenciclidina no cérebro de animais e as maneiras de anulá-los mediante o uso de fármacos antipsicóticos.
 

 

A fenciclidina anula quase completamente as ondas de baixa frequência que sincronizam os circuitos neuronais, dando lugar a uma desorganização da actividade normal do cérebro.
 

 

Após a administração da fenciclidina, os cientistas observaram como se originam as alucinações e as alterações cognitivas e como se revertem esses efeitos através da administração dos antipsicóticos haloperidol e clozapina.
 

 

O estudo demonstra ainda que a fenciclidina actua sobre o córtex pré-frontal, uma parte do cérebro que tem um papel importante nos processos cognitivos, de percepção e de planeamento do comportamento.
 

 

As alterações nos neurónios piramidais e no funcionamento normal do córtex pré-frontal produzidas pela fenciclidina poderiam explicar os mecanismos da Esquizofrenia e abrir caminho para sua cura total.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.