Federeação dos Médicos reticente a gestão privada de serviços públicos
26 julho 2001
  |  Partilhar:

A Federação Nacional dos Médicos encara com "alguma preocupação" a intenção do ministro da Saúde de conceder a privados a gestão de serviços públicos e alerta para a falta de avaliação das experiências que estão no terreno.
 

 

Comentando, em declarações à Lusa, a entrevista do ministro da Saúde publicada ontem no matutino Público, o presidente da FNAM, Cílio Correia, considerou que o governante "manifesta uma vontade muito grande de fazer coisas", o que é "extremamente motivador".
 

 

Porém, o sindicalista deixou um aviso: "Nós, que já passámos por alguns ministros, já assistimos a este tipo de manifestações. Mas depois esbarram num conjunto de interesses que acabam por as fazer desaparecer".
 

 

A gestão privada de serviços públicos é encarada com reserva pelo sindicalista, que considerou "urgente avaliar primeiro as experiências que estão no terreno, para que se saiba como conciliar a gestão e a prática médica", a par de "uma reflexão sobre o financiamento" do sector público.
 

 

A mesma apreensão foi demonstrada por Cílio Correia em relação aos orçamentos clínicos - instrumento defendido pelo ministro como forma de responsabilizar os médicos pelas suas prescrições -, que considerou poderem "funcionar como um factor de restrição ao acesso do próprio doente" a determinados tratamentos.
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.