Febre comum após toma simultânea da vacina da gripe e pneumocócica

Estudo publicado na revista “JAMA Pediatrics”

09 janeiro 2014
  |  Partilhar:

A toma conjunta da vacina da gripe e da pneumocócica parece aumentar o risco de febre nas crianças, dá conta um estudo “JAMA Pediatrics”.
 

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças e outras organizações de saúde recomendam frequentemente a toma conjunta da vacina da gripe e da pneumocócica, de forma a proteger contra a gripe e outras infeções entre as tomas e também para evitar um possível atraso nas vacinações devido à dificuldade de agendamento das vacinas.
 

Neste estudo, os investigadores da Universidade de Columbia, e do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, nos EUA, decidiram averiguar qual o impacto que a toma simultânea destas vacinas tinha no aumento da temperatura corporal, tendo para tal acompanhado cerca de 530 crianças, as quais estavam a receber as vacinações habituais.
 

Aos pais foi solicitado, desde o primeiro dia da administração das vacinas até sete dias após, que monitorizassem a temperatura dos seus filhos.
 

O estudo apurou que, entre as crianças que receberam simultaneamente a vacina da gripe e a pneumocócica, cerca de 37,6% teve uma temperatura de 38ºC ou mais no dia da imunização ou no dia seguinte. Nas crianças em que a vacina pneumocócica ou da gripe foi administrada isoladamente, apenas 9,5 e 7,5% atingiram esse valor. Ou seja, comparativamente com a toma das vacinas isoladamente, a sua administração simultânea triplicava o risco das crianças terem febre no dia da toma e no dia seguinte.  
 

O estudo apurou que por cada 100 crianças, ocorriam entre 20 a 23 casos de temperaturas que rondavam os 38°C ou mais, nas crianças que tinham tomado as duas vacinas, comparativamente com aqueles que só tinha sido administrado uma delas. Foram também observados 15 casos adicionais de temperaturas que atingirem os 39°C ou mais nas crianças que receberam as duas vacinas, em comparação com aquelas às quais foi administrada apenas a vacina da gripe.
 

"Embora estes dados sugiram que a administração simultânea das vacinas da gripe e pneumocócica aumentem o risco de febre, comparativamente com a toma isolada, estes resultados devem ser avaliados tendo em conta os benefícios decorrentes da vacinação no que diz respeito à prevenção das doenças e do aumento de taxa de vacinação”, revelou, em comunicado de imprensa a primeira autora do estudo, Melissa S. Stockwell.
 

"Os pais devem estar conscientes que os filhos podem desenvolver febre após a toma simultânea da vacina da gripe e pneumocócica, mas os benefícios destas vacinações superam o risco de febre e, na maioria dos casos, a febre tem um período curto de duração", conclui a investigadora.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.