Fast food danifica artérias

Estudo publicado no “Canadian Journal of Cardiology”

02 novembro 2012
  |  Partilhar:

O consumo de fast food, em oposição à dieta mediterrânica, danifica as artérias, refere um estudo publicado no “Canadian Journal of Cardiology”.
 

Neste estudo os investigadores da University of Montreal, no Canadá, decidiram analisar qual o efeito que o consumo de fast food e de uma refeição tipicamente mediterrânica tinham no endotélio vascular, a parte interior dos vasos sanguíneos.
 

Os investigadores, liderados por Nigam, contaram assim com a participação de 28 homens não fumadores, os quais foram convidados a consumir uma refeição tipicamente mediterrânica e uma semana mais tarde a ingerir fast food. Antes do início do estudo e 12 horas após jejum a função endotelial base dos participantes foi avaliada.
 

A refeição mediterrânica foi composta por salmão, amêndoas e legumes cozinhados em azeite, sendo que 51% do total de calorias foram provenientes de gordura, maioritariamente ácidos gordos monoinsaturados e polinsaturados. A refeição de fast food consistiu de uma sanduíche de salsicha, um ovo, uma fatia de queijo e batatas fritas. Neste caso 58% do total de calorias ingeridas foram provenientes de gordura, extremamente rica em ácidos gordos saturados e desprovida de ácidos gordos ómega 3.
 

Duas a quatro horas após a ingestão de cada refeição, os participantes foram submetidos a nova avaliação para avaliar o impacto que estas refeições tinham tido na função arterial.
 

O estudo apurou que após a ingestão de fast food as artérias dos participantes dilatavam 24% menos do que após o jejum. Por outro lado, após o consumo de uma refeição mediterrânica as artérias dilatavam normalmente e mantinham um bom fluxo sanguíneo.
 

Os investigadores também verificaram que os participantes com níveis mais elevados de triglicerídeos eram os que beneficiavam mais da ingestão de refeições saudáveis.
 

As artérias destes indivíduos respondiam melhor ao consumo de uma refeição saudável. Foi verificado que comparativamente com os indivíduos com níveis de triglicerídeos baixos, as artérias destes indivíduos respondiam melhor ao consumo de uma refeição mediterrânica.

 

“Acreditamos que a adoção de uma dieta mediterrânica seja particularmente benéfica para os indivíduos com elevados níveis de triglicerídeos, como os pacientes com síndroma metabólica, pois pode manter as artérias saudáveis”, revelou, em comunicado de imprensa o líder do estudo.

 

O investigador conclui que estes resultados vão possivelmente alterar, de uma forma positiva, o modo como as pessoas se alimentam. Uma deficiente função endotelial é dos precursores mais significativos da aterosclerose. É necessário pensar nisto a todas as refeições.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.