Fármaco utilizado na diabetes pode prevenir e tratar a pré-eclampsia

Estudo publicado no “American Journal of Obstetrics and Gynecology”

28 dezembro 2015
  |  Partilhar:
Um fármaco habitualmente utilizado no tratamento da diabetes, a metformina, pode prevenir e tratar a pré-eclampsia, sugere um estudo publicado no “American Journal of Obstetrics and Gynecology”.
 
A pré-eclampsia, que afeta entre 5 a 8% das mulheres grávidas, é diagnosticada através da pressão arterial elevada e presença de proteínas na urina após as 20 semanas de gestação. Esta condição é uma das principais causas de morte materna. Diariamente ocorrem aproximadamente 100 mortes maternas e 400 mortes perinatais no mundo inteiro. Até à data o único tratamento para a pré-eclampsia é o parto.
 
A pré-eclampsia é uma doença única da gravidez e está associada a problemas com a placenta. O fornecimento inadequado de sangue para a placenta provoca danos neste órgão, o que conduz à libertação de toxinas no sangue materno, fazendo com que a pressão arterial aumente e ocorram danos em vários órgãos, como o fígado, cérebro e rins.
 
Nas últimas décadas, a comunidade científica constatou que a pré-eclampsia é uma doença das células endoteliais, que se encontram presentes no revestimento interior de todos os vasos sanguíneos do corpo. Existem pelo menos duas toxinas produzidas pela placenta, a forma solúvel do recetor 1 do fator de crescimento endotelial vascular e a endoglina solúvel, que se encontram em níveis elevados na pré-eclampsia. Estas podem danificar as células endoteliais, causando a disfunção responsável pela doença. No entanto, atualmente ainda não existem, para o uso clínico na gravidez, agentes ou fármacos capazes de diminuir a produção destas toxinas.
 
Neste estudo os investigadores da Universidade de Melbourne, na Austrália, constataram através de experiências realizadas in vitro que, a metformina diminui a produção das toxinas e ajuda a curar os vasos sanguíneos danificados.
 
Na opinião do líder do estudo Fiona Brownfoot, tendo em conta os resultados laboratoriais encontrados deveriam ser conduzidos ensaios clínicos para verificar se a metformina pode ser utilizada para tratar as mulheres com pré-eclampsia. O outro autor do estudo, Stephen Tong, refere que este fármaco é já há muito utilizado no tratamento da diabetes nas mulheres grávidas e não grávidas e a sua toma é considerada segura durante a gravidez.
 
O redator chefe do jornal onde o estudo foi publicado, Roberto Romero, acrescenta que esta descoberta é prometedora e que o estado anti-angiogénico, uma condição que não favorece a formação de vasos sanguíneos, está presente não só na pré-eclampsia, como também noutras complicações associadas à gravidez, como a morte e restrição de crescimento fetal, bem como no trabalho de parto prematuro.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.