Fármaco estimula tecido adiposo castanho e aumenta metabolismo

Estudo publicado na revista “Cell Metabolism”

09 janeiro 2015
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram que um fármaco já aprovado pela agência norte-americana de medicamento (FDA, sigla em inglês) para o tratamento da bexiga hiperativa pode aumentar a capacidade metabólica do tecido adiposo castanho. O estudo publicado na revista “Cell Metabolism” defende que este fármaco pode ser assim um prometedor candidato no combate à obesidade.
 

Contrariamente ao tecido adiposo branco, responsável por armazenar energia, o tecido adiposo castanho queima energia para gerar calor, ajudando assim a manter o peso corporal e prevenir a obesidade.

 

Estudos anteriores já tinham constatado que a ação do tecido adiposo castanho podia ser induzida através da ativação de um recetor denominado por β3-adrenérgico, que se encontra expresso na superfície das células dos tecidos adiposos castanho e branco, bem como nas células da bexiga e noutros tecidos.
 

Com base nestes resultados, os investigadores do Centro de Diabetes Joslin e o Centro Médico Beth Israel Deaconess, nos EUA, resolveram averiguar se o fármaco miraberon, que tem por alvo o recetor β3-adrenérgico, poderia ajudar a manter o peso corporal.
 

Para o estudo, os investigadores contaram com a participação de 12 homens jovens, saudáveis, e que nunca tinham tomado miraberon. Verificou-se que a administração de 200mg de miraberon conduziu a uma maior atividade metabólica do tecido adiposo castanho e o seu nível máximo no sangue aumentou a taxa metabólica em repouso dos participantes em 230 calorias por dia. Apesar de a dose utilizada ser maior que os 50mg aprovados para a bexiga hiperativa, o tratamento foi bem tolerado.
 

“Demonstrámos que uma dose única do fármaco estimula o tecido adiposo castanho o que faz com que consuma glicose e queime calorias”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Aaron Cypess.
 

Estes resultados sugerem que os fármacos que ativem o recetor β3-adrenérgico podem ser um prometedor tratamento para a obesidade. O investigador refere ainda que até à data apenas se tinha conseguido ativar o tecido adiposo castanho através do frio. Apesar de este ser um método pouco dispendioso, não é bem tolerado a longo prazo, havendo também uma grande variabilidade nas respostas das pessoas. Adicionalmente, quando a exposição ao frio é interrompida, o efeito geralmente diminui rapidamente.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.