Fármaco combate compulsão por comida

EUA aprova novo medicamento

26 abril 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

 

 

Uma nova substância que ajuda a bloquear a compulsão por comida pode reduzir o peso, os centímetros da cintura e os riscos de doenças cardíacas, segundo uma equipa de cientistas belgas.
 

 

O estudo foi publicado na revista científica The Lancet e diz que as pessoas que foram submetidas a um tratamento com a substância rimonabant, perderam, em média, 8,6 quilos por ano. E também conseguiram reduzir, em média, 8,5 cm da cintura, de acordo com o estudo.
 

 

O rimonabant bloqueia o sistema endocanabinóide, parte do cérebro que regula a «compulsão por comida» e o equilíbrio energético.
 

 

Os investigadores fazem parte da equipa do Hospital da Universidade de Antuérpia e fizeram o estudo em 1.507 pessoas obesas ou acima do peso na Europa e nos Estados Unidos. Destas, 920 pessoas concluíram o tratamento de 12 meses.
 

 

As pessoas foram divididas em três grupos: no primeiro, recebiam diariamente cinco miligramas de rimonabant; no segundo, 20 miligramas; e no terceiro, um placebo. Além disso, todos os que participaram no estudo tinham de cortar 600 calorias à sua alimentação diária.
 

 

Dos que tomaram a maior dose de rimonabant, 39 por cento perderam 10 por cento ou mais do seu peso no ano.
 

 

Mais de 67 por cento dos pacientes tratados com 20 mg de rimonabant por dia perderam cinco por cento ou mais do seu peso. Em média, as pessoas que tomaram a dose mais alta da substância perderam cinco quilos ou mais do que aqueles que tomaram placebo. Essas pessoas também conseguiram reduzir as medidas da cintura em sete centímetros, em média, do que as que tomaram placebo.
 

 

Pessoas com gordura acumulada na região do abdómen estão entre aquelas que têm maior risco de desenvolver doenças do coração e diabetes.
 

 

A investigação, publicada pelos cientistas belgas, também indicou que as pessoas que tomaram a dose mais elevada de rimonabant mostraram melhoras nos factores de risco para doenças, como os níveis de colesterol. No entanto, também tiveram níveis mais elevados de efeitos secundários, tais como náuseas, tonturas e diarreias.
 

 

O sistema endocanabinóide foi descoberto recentemente - e é a área do cérebro que contribui para a regulação fisiológica do equilíbrio energético, ingestão de alimentos e metabolismo de lipídios e glicose. «O tratamento com rimonabant durante um ano levou à perda sustentada e clinicamente significativa de peso, à redução de centímetros da cintura, factor associado à melhora de factores de riscos cardiovasculares», disse o líder da equipa de investigadores, Luc Van Gaal.
 

 

Especialistas britânicos reconhecem que o medicamento é eficaz, mas apenas se for acompanhado por uma dieta.
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.