Fármaco aumenta esperança de vida a pacientes operados a Cancro no Pâncreas

Estudo publicado no JAMA

23 janeiro 2007
  |  Partilhar:

 

Um fármaco testado por uma equipa internacional mostrou-se capaz de duplicar o período de tempo em que as pessoas submetidas a cirurgia de remoção de Cancro do Pâncreas permanecem sem sinais de recaída da doença.
 

 

Um estudo publicado na revista da American Medical Association (JAMA) diz que o fármaco, a gemcitabina, pode ajudar a prevenir a formação de novos tumores em pacientes que sofrem de Cancro do Pâncreas.
 

 

O estudo, realizado por cientistas australianos e alemães, acompanhou 368 pacientes submetidos à cirurgia de remoção dos tumores do órgão. Apenas alguns foram tratados com o fármaco enquanto os outros não receberam a terapia. Passados quatro anos, o cancro reapareceu em 74% dos indivíduos que receberam a gemcitabina; Nas pessoas a quem não foi administrado o fármaco este índice chegou aos 92%.
 

 

Os cientistas responsáveis pelo estudo, financiado pelo laboratório farmacêutico Lilly, fabricante do fármaco, informaram que "o tratamento auxiliar com gemcitabina, na dose e previsão usadas, tem uma toxicidade mínima, não compromete a qualidade de vida e oferece uma esperança de vida geralmente melhor e mais prologada para os pacientes sem que a doença se manifeste".
 

 

O Cancro do Pâncreas é uma das formas mais mortais da doença. Apenas um em cada 10 pacientes sobrevive cinco anos após o diagnóstico. Geralmente, o tumor não tem possibilidade de cirurgia, porque se metastiza rapidamente a outros órgãos. Cerca de 232 mil novos casos são diagnosticados anualmente em todo o mundo, tornando-o a quarta forma mais comum de cancro.
 

 

MNI- Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.