Farmacêuticos lançam apelo na rádio

Associação Nacional das Farmácias pede baixa do preço dos medicamentos

20 junho 2005
  |  Partilhar:

«Neste ano, os doentes vão gastar 220 milhões de euros a mais porque a lei não é cumprida. A indústria devia vender os medicamentos em Portugal mais baratos do que em Espanha, França e Itália. Mas não o faz. E isso custa-nos caro. Senhor ministro da Saúde. Faça cumprir a lei. Pense nos portugueses.»É este o apelo que a Associação Nacional das Farmácias lançou, via rádios nacionais, ao Ministro da Saúde para que este faça cumprir a lei e, consequentemente, baixe os preços dos medicamentos. O apelo, lançado na segunda-feira em diversas rádios nacionais, é hoje repetido, num total de cerca de 300 transmissões. Em simultâneo, o Presidente da Associação Nacional das Farmácias, João Cordeiro, escreveu a cerca de mil decisores e líderes de opinião, nomeadamente deputados, autarcas e dirigentes políticos, chamando-lhes a atenção para o assunto. Na carta, João Cordeiro reforça ter entregue um estudo demonstrativo de que há medicamentos em Portugal com preço superior ao permitido por lei. «Se a legislação sobre o preço dos medicamentos fosse cumprida, o Ministério da Saúde teria poupado, em 2004, 227 milhões de euros – apenas nos 100 medicamentos mais consumidos (35 por cento do mercado). Há casos em que o preço dos medicamentos é 60 por cento superior ao previsto na lei», aponta o responsável», adianta Por isso, sugere, «era nossa expectativa que, em face desta realidade, fossem reduzidos de imediato os preços dos medicamentos sem necessidade de adoptar outras medidas – e, o que nos parece muito importante, sem ter de penalizar a economia dos doentes.» Fonte: MNI- Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.