Extrato de cogumelo japonês eficaz no combate ao VPH

Estudo apresentado na 11ª conferência internacional da Society for Integrative Oncology

10 novembro 2014
  |  Partilhar:

Um extrato de um cogumelo japonês poderá ajudar a erradicar o Vírus do Papiloma Humano (VPH), revelou um estudo norte-americano.
 

Conduzido pelo Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, em Houston, EUA, o estudo demonstrou que o composto ativo correlacionado de hexose ativa (com a sigla AHCC em inglês) poderá ter o potencial de curar pacientes com o vírus do VPH. Este composto é produzido pelo cogumelo shiitake que é nativo da Ásia.
 

O AHCC está disponível como suplemento nutricional devido às suas propriedades de fortalecimento do sistema imunitário. Alguns estudos já demonstraram que adicionalmente o AHCC poderá ser eficaz no combate a tumores e infeções.
 

Para o estudo, Judith Smith, autora principal e professora associada no Departamento de Obstetrícia, Ginecologia e Ciências Reprodutivas naquela universidade, e a sua equipa contaram com a participação de dez mulheres com o vírus do VPH. A equipa ofereceu uma fórmula oral de AHCC às mulheres, para ser tomada uma vez ao dia por um período de até 6 meses.
 

Três meses após o início do tratamento com o composto, cinco das participantes apresentaram resultados negativos num teste à infeção por VPH. Em três das mulheres, a infeção tinha desaparecido por completo após terem deixado de tomar o AHCC. Nas outras duas mulheres foram manifestados resultados após seis meses de toma do composto.
 

Segundo a autora principal do estudo, os resultados são “muito encorajadores”. Sendo assim, “uma vez que o AHCC é um suplemento nutricional sem efeitos secundários e com outros benefícios para o sistema imunitário, vamos planear 6 meses de tratamento na nossa fase 2 do ensaio clínico de forma a obtermos um plano de tratamento consistente para o estudo. Isto confirma a nossa pesquisa pré-clínica anterior”.
 

Segundo a Direção Geral de Saúde, a infeção por VPH constitui uma das infeções de transmissão sexual mais comuns a nível mundial. Cerca de 50 a 80% da população sexualmente ativa contrai a infeção nalguma altura da sua vida, sendo que na maioria dos casos não se verifica evolução para doença sintomática. O cancro de colo do útero é provocado em 99% dos casos por infeção por VPH.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.