Expressão genética anormal encontrada na psicopatia

Estudo publicado na revista “Molecular Psychiatry”

11 setembro 2019
  |  Partilhar:
Um novo estudo revela que uma expressão anormal de genes associada ao autismo é também encontrada em psicopatia violenta.
 
Investigadores da Universidade do Este da Finlândia, em conjunto com o Instituto Karolinska, na Suécia, usaram células estaminais dos participantes para criar células estaminais pluripotentes que foram depois diferenciadas em neurónios corticais e astrócitos.
 
Para o estudo foram analisadas pessoas violentas com psicopatia e pessoas saudáveis para controlo. Visto que a psicopatia era acompanhada do uso de drogas, foram ainda incluídas pessoas sem psicopatia, mas com um historial de abuso de substâncias. Deste modo foi possível analisar quais as alterações associadas apenas à psicopatia.
 
Foram observadas fortes alterações na expressão de genes e nas vias moleculares relacionadas com a resposta imunitária. Vários destes genes foram já ligados ao autismo.
 
Nos neurónios, a psicopatia revelou-se associada a uma sobrerregulação de RPL10P9 e ZNF132 e a uma subregulação de CDHH5 e OPRD1. Nos astrócitos verificou-se sobrerregulação de RPL10P9 e MT-RNR2.
 
Esta expressão genética explica 30-92% da variação dos sintomas, sendo que a doença foi ainda associada a alterações na expressão de proteínas relacionadas com o metabolismo da glicose e com o sistema opiáceo.
 
Este estudo reforça observações de estudos anteriores que associaram o comportamento psicótico e violento a alterações no metabolismo da glicose e à neurotransmissão de opiáceos, sendo este último um fator subjacente da psicopatia, quando anormal ou alterado.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar