"Exposição pré-natal a substâncias ilícitas"

Estudo da Universidade Católica do Porto

04 fevereiro 2011
  |  Partilhar:

A exposição a substâncias ilícitas durante a gravidez torna os bebés “mais difíceis” nos primeiros tempos, com “menos disponibilidade” para estímulos, como a brincadeira, revela um estudo realizado pelo Centro de Estudos em Desenvolvimento Humano da Faculdade de Educação e Psicologia (FEP) da Universidade Católica do Porto.

 

Neste estudo inédito Maria Raul Xavier avaliou a exposição a substâncias como heroína ou metadona imediatamente após o nascimento, entre os dois e três anos e aos 10 anos.

 

A investigadora, explicou à agência Lusa a maioria das crianças avaliadas passou por um período de privação, com os respectivos e sofridos sintomas, físicos e não só. O estudo baseou-se, contudo, no seguimento das crianças, após o período de privação.

 

Durante o período neonatal, o estudo detectou “diferenças significativas entre o grupo de crianças expostas e o grupo de comparação constituído por crianças não expostas a substâncias ilícitas, sem qualquer patologia médica, nascidas na mesma unidade hospitalar na mesma época que o grupo exposto”.

 

As crianças expostas registaram “períodos de alerta menos estruturados e com menos disponibilidade para os estímulos do mundo exterior, uma maior necessidade de apoio do examinador para que o bebé tenha um bom desempenho e menor capacidade reguladora”.

As crianças expostas a estas substâncias demonstraram “menos robustez e endurance [resistência], testemunhando as dificuldades que estes bebés têm de se manterem, necessitando de mais ajuda do cuidador e também a maior dificuldade para se defenderem de estímulos negativos e organizarem o controlo interno sobre as reacções motoras e autonómicas que podem interferir na relação que estabelecem no meio”.

 

O estudo conclui que estes são bebés mais difíceis os quais também demonstraram “diferenças no que diz respeito ao peso, comprimento e perímetro cefálico”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar

Substâncias ilícitas e as lícitas?

Que é nefasta a exposição pré-natal a substâncias ilícitas penso que ressalta ao mais ignorante. Quanto às lícitas, como por exemplo o tabaco, em que muitos pais e outros familiares, sem respeito pelas suas crianças, submetem-nas a ambientes súper conspurcados de fumo tabágico dentro das próprias habitações.
Penso que, já era tempo do ministério da saúde mandar fazer um rastreio, sobretudo às crianças de pais fumadores, e se fosse confirmado que essas crianças apresentassem qualquer sintoma de tabaco, sintomas de fumador passivo, esses pais deveriam ser responsabilizados.

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.