Exposição excessiva ao sol mata 60 mil por ano em todo o mundo

Relatório da OMS

10 agosto 2006
  |  Partilhar:

 

O excesso de exposição aos raios ultravioletas do Sol é responsável por 60 mil mortes anuais em todo o Mundo, a maioria devido a Cancro, revela um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS).
 

 

De acordo com o documento divulgado, o Melanoma destaca-se como a principal causa de morte atribuída aos efeitos da exposição aos raios ultravioletas do Sol na região europeia e no continente americano. Resultados semelhantes surgem em alguns países da região do Pacífico Ocidental, nomeadamente na Austrália, Brunei, Japão, Nova Zelândia e Singapura.
 

O relatório da OMS, denominado "Global Burden of Disease of Solar Ultraviolet Radiation" explicita ainda que, das 60 mil mortes anuais atribuídas à exposição solar, 48 mil devem-se a melanomas malignos e 12 mil a Carcinomas Cutâneos. Os raios ultravioletas estão também implicados no aparecimento de outros problemas de saúde, como Eritemas Solares, Cataratas e na reactivação de Herpes Labial.
 

 

Em África, as cataratas são a principal causa de morbilidade atribuída aos raios ultravioleta e, apesar dos Melanomas malignos serem raros nas populações, constituem a segunda causa de morbilidade nesta região do Mundo. As Cataratas são também a primeira causa de morbilidade associada à exposição solar em países da América Latina, no Mediterrâneo Oriental e no Sudeste Asiático.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.