Exposição a ftalatos na gravidez associada a problemas motores nas crianças

Estudo publicado na revista “Environment International”

09 janeiro 2020
  |  Partilhar:
Cientistas do Centro para a Saúde Ambiental das Crianças da Universidade de Columbia revelaram uma ligação entre a exposição pré-natal a ftalatos e problemas motores nas crianças mais tarde.
 
Os ftalatos são químicos presentes em vários objetos do dia-a-dia, como champôs, brinquedos ou embalagens de alimentos. Pensa-se que interfiram com o sistema endócrino e com o desenvolvimento cerebral no útero.
 
A equipa de investigadores elaborou um estudo longitudinal a 209 mulheres nova iorquinas e aos seus filhos.
 
Foram medidos os níveis de sete metabolitos ftalatos na urina materna durante o terceiro trimestre da gravidez. A função motora das crianças foi medida aos 11 anos.
 
Depois de ajustar potenciais fatores de confusão, os investigadores observaram um declínio da habilidade motora fina nas raparigas, mas não nos rapazes, depois da exposição a específicos metabolitos.
 
A análise apontou para três ftalatos mais associados aos défices motores: mono-butil ftalato, mono-benzil ftalato e mono-isobutil ftalato. Nenhum pertence à mais comum categoria de ftalatos, os Bis (2-etil-hexil) ftalatos.
 
As raparigas com défices na habilidade motora fina podem ter dificuldades com os trabalhos da escola, em especial aqueles relacionados com a escrita e uso de aparelhos eletrónicos. Podem também ter problemas de coordenação olho-mão.
 
Os ftalatos presentes nos plásticos ou cremes rapidamente se libertam para o ambiente e são inalados, absorvidos na pele e ingeridos. Depois de passarem a barreira sangue-placenta podem ainda encurtar o tempo gestacional, perturbar o desenvolvimento reprodutor masculino e provocar problemas cognitivos e de comportamento.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar