Exposição a bactérias pode estar associada à doença celíaca

Estudo publicado na revista “Nature Structural and Molecular Biology”

10 janeiro 2020
  |  Partilhar:
Uma equipa de investigadores internacionais descobriu uma base molecular da exposição bacteriana como potencial causa ambiental para o desenvolvimento da doença celíaca.
 
As pessoas com doença celíaca devem seguir toda a vida uma dieta sem glúten, visto que até mesmo pequenas quantidades são prejudiciais à sua saúde. O glúten provoca uma resposta inflamatória do sistema imunitário que causa dores, diarreia, má absorção dos nutrientes, etc.
 
Sabe-se que, para além da predisposição genética, os fatores ambientais também contribuem para o desenvolvimento da doença, embora não se saiba exatamente como.
 
Neste estudo, os cientistas mostram, a nível molecular, como os recetores isolados das células T dos doentes celíacos podem reconhecer fragmentos de proteínas de algumas bactérias que imitam os fragmentos presentes no glúten.
 
A exposição à proteína destas bactérias pode estar na origem do reconhecimento errado do glúten pelas células T. O sistema imunitário desenvolve defesas na presença da proteína da bactéria e, ao encontrar o glúten, que para si é semelhante, reage da mesma maneira.
 
Hugh Reid, co-autor, explica a descoberta: “É possível que o sistema imunitário reaja às proteínas bacterianas de forma normal e, ao fazê-lo, desenvolve também uma reação ao glúten porque para o sistema imunitário são ambos indistinguíveis”.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar