Expansão das células estaminais poderá conduzir a novo tratamento para cancro

Estudo publicado na revista “Plos One”

03 setembro 2014
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram como aumentar a produção de células estaminais utilizadas no tratamento de pacientes com cancro. O estudo publicado na revista “Plos One” pode ter implicações para além do cancro, nomeadamente em tratamentos para a imunodeficiência congénita, distúrbios metabólicos e doenças autoimunes.
 

Os investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Colorado, nos EUA, explicam ter descoberto a chave do código molecular que parece regular a capacidade das células estaminais sanguíneas reproduzirem e reterem a suas características de células estaminais.
 

O estudo envolveu o desenvolvimento de produtos proteicos que podem ser diretamente administrados às células estaminais, para que seja estimulada a sua multiplicação sem modificações genéticas permanentes.
 

A utilização de células estaminais para o tratamento de pacientes oncológicos que necessitam de transplantes de medula óssea é uma prática comum há mais de quatro décadas. Contudo, um dos líderes do estudo, Yosef Refaeli, referiu que “o maior desafio tem sido encontrar um fornecimento adequado de células estaminais que ajudem os pacientes a combater a infeção após o procedimento”.
 

O diretor do “Gates Stem Cell Center”, Dennis Roop, refere que há muito que os investigadores tentam aumentar o número de células estaminais em laboratório. Contudo, a maioria das tentativas têm sido limitadas pela natureza das células resultantes ou devido ao número insuficiente de células produzido.  
 

A tecnologia aplicada neste estudo funcionou em células estaminais obtidas do cordão umbilical, da medula óssea ou de sangue periférico de adultos. “A capacidade de multiplicar laboratorialmente células estaminais sanguíneas, de qualquer fonte, é essencial para a adoção desta nova tecnologia em clínicas”, referiu o diretor científico da Taiga Biotechnologies, Brian Turner.
 

Agora o objetivo é tentar levar esta técnica do laboratório para os ensaios clínicos. A Taiga Biotechnologies está assim em processo de criação do primeiro ensaio clínico em humanos que envolve a expansão de células estaminais descrita neste artigo.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.