Exercício três vezes por semana reduz risco de depressão

Estudo publicado no “JAMA Psychiatry”

21 outubro 2014
  |  Partilhar:

A prática de exercício físico, três vezes por semana, pode reduzir o risco de desenvolvimento de depressão em cerca de 16%, revela um estudo publicado no “JAMA Psychiatry”.
 

Para o estudo, os investigadores da Universidade de College London, no Reino Unido, acompanharam um total de 11.135 indivíduos nascidos em 1958 até estes completarem 50 anos, tendo registado a presença de sintomas depressivos e os níveis de atividade física na idade adulta. Para avaliação dos sintomas depressivos, foram analisadas as respostas dos participantes a um questionário concebido para apurar o nível de stress aos 23, 33, 42 e 50 anos.
 

O estudo apurou que os indivíduos que praticavam mais exercício físico tinham menos sintomas depressivos. Por outro lado, os que tinham mais sintomas depressivos eram os menos ativos, particularmente na juventude. Verificou-se ainda que, por cada sessão de atividade física adicional, o risco de depressão diminuía em cerca de 6%.
 

Os investigadores constaram também que a relação entre a prática do exercício físico e os sintomas depressivos foi observada em todos os participantes e não apenas naqueles com elevado risco de depressão.
 

O estudo também apurou que os indivíduos com mais sintomas depressivos aos 23 anos tendiam a ser menos ativos, mas este efeito tendeu a desaparecer com a idade. “Este achado é importante para as políticas que têm como objetivo fazer com que as pessoas sejam mais ativas, uma vez que sugere que os sintomas depressivos podem ser considerados uma barreira para a prática de exercício no início da idade adulta”, revelou, em comunicado de imprensa, uma das autoras do estudo, Snehal Pinto Pereira.
 

Alguns estudos já tinham sugerido que a atividade física poderia ser utilizada como tratamento para a depressão “, mas o nosso estudo vais mais além, sugerindo que o exercício pode na realidade limitar os sintomas depressivos na população geral”, conclui, o líder do estudo, Chris Power.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.