Exercício físico deve ser prescrito contra a depressão

Estudo apresentado na conferência “Anxiety Disorder Association of America”

14 abril 2010
  |  Partilhar:

Os profissionais de saúde mental devem prescrever exercício físico para combater a depressão e a ansiedade, reforça um estudo norte-americano apresentado na conferência “Anxiety Disorder Association of America”, realizada recentemente em Baltimore, EUA.

 

O estudo, liderado por Jasper Smits, da Methodist University, em Dallas, e Michael Otto, da Boston University, ambas nos EUA, baseou-se na análise de dezenas de estudos clínicos e revisões metanalíticas sobre a prática de exercício físico e as suas consequências para a saúde mental. Da análise, os investigadores concluíram que “o exercício tem mostrado enormes benefícios para a saúde mental”.

 

Dado que os tratamentos tradicionais - incluindo a psicoterapia e a medicação antidepressiva - não são acessíveis ou eficazes em todos os pacientes, os investigadores aconselham os especialistas a adoptarem como regra a prescrição de exercício físico. “Os exercícios podem preencher essa lacuna em pessoas que não podem receber as terapias tradicionais, por razões económicas ou por falta de acesso a elas, ou que não as querem receber, devido ao estigma social associado a esses tratamentos”, destacou Jasper Smits, acrescentando que, além disso, o exercício físico pode complementar os tratamentos tradicionais, ajudando os pacientes a tornarem-se mais centrados e empenhados.

 

Segundo os autores do estudo, quando aconselham o paciente a realizar alguma actividade física, os especialistas devem salientar alguns dos seus benefícios, como uma diminuição dos sintomas de ansiedade e depressão e dos níveis de raiva e stress e, logo após 25 minutos de prática, uma melhoria da energia e do humor.

 

A prática de exercício físico pode ter o mesmo efeito que a toma de alguns antidepressivos, dado agir nos neurotransmissores, destacou ainda o investigador, em comunicado de imprensa, citado pela EurekAlert.

 

Por isso, após consultar um médico, esses pacientes devem ser encorajados a realizar 150 minutos por semana de actividades físicas moderadas ou 75 minutos de actividades vigorosas. Os especialistas devem também ajudar os pacientes a delinear estratégias para a resolução de problemas e estabelecimento de metas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 4Média: 4.8
Comentários 1 Comentar