Exercício físico associado a menor risco de vários tipos de cancro

Estudo publicado no “JAMA Internal Medicine”

20 maio 2016
  |  Partilhar:
A prática de atividade física moderada está associada a um menor risco de desenvolvimento de 13 tipos de cancro, revela um estudo publicado no “JAMA Internal Medicine”. 
 
A inatividade física é algo comum. Estima-se que 51% dos adultos nos EUA e 31% em todo o mundo não façam qualquer exercício recomendado para manter a saúde. 
 
Para o estudo, os investigadores do Instituto Nacional do Cancro, nos EUA, contaram com a participação de 1,44 milhões de indivíduos com idades entre os 19 e os 98 anos. Ao longo dos 11 anos de acompanhamento, foram diagnosticados 186.932 casos de cancro.
 
O estudo não só confirmou a relação já comprovada entre um nível sustentado de exercício e um menor risco de cancro colorretal, da mama e do endométrio, mas também de dez outros tipos de tumores. 
 
Os investigadores verificaram que a atividade física diminuía o risco dos seguintes cancros: adenocarcinoma do esófago (em 42%), fígado (em 27%), pulmão (em 26%), rim (em 23%), estômago (em 22%), endométrio (em 21%), leucemia (em 20%), mieloma (em 17%), cólon (em 16%), cabeça e pescoço (em 15%), retal (em 13%), bexiga (em 13%) e mama (em 10%).
 
Na maioria dos casos, a relação entre atividade física e redução do risco de cancro manteve-se independentemente do peso da pessoa e de se tratar ou não de um fumador. No geral, um maior nível de atividade física foi associado a um risco total de cancro 7% menor .
 
Por outro lado, as atividades físicas foram relacionadas com um aumento de 5% do risco de cancro da próstata e de 27% do melanoma maligno, uma associação significativa em regiões dos EUA com elevados níveis de radiação UV, mas não em regiões com baixos níveis deste tipo de radiações.
 
Na opinião dos autores do estudo, estes achados apoiam a promoção da atividade física como um componente-chave na prevenção contra o cancro.
 
Marilie D. Gammon, da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, conclui que estes resultados salientam a importância da atividade física como uma potencial estratégia de redução dos riscos de forma a diminuir o cancro nos EUA, bem como em todo o mundo. Foi demonstrado que níveis elevados, em relação a níveis baixos de atividade física, estão relacionados a uma redução de 13 tipos de cancro, incluindo três dos quatro principais cancros que afetam os homens e mulheres em todo mundo. A aplicação generalizada destes achados é reforçada pela sugestão de que as associações persistem independentemente do índice de massa corporal ou dos hábitos tabágicos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.