Exercício fisco de elevada intensidade: porque é benéfico?

Estudo publicado nos “Proceedings of the National Academy of Sciences”

05 novembro 2015
  |  Partilhar:
Investigadores suecos descobriram o mecanismo celular responsável pelos benefícios surpreendentes da prática de exercício físico curto e de elevada intensidade. O estudo publicado nos “Proceedings of the National Academy of Sciences” também ajuda a explicar por que motivo os antioxidantes prejudicam o efeito do treino de resistência.
 
A prática de exercício físico de intensidade elevada é suficiente para produzir um efeito pelo menos equivalente ao conseguido através do exercício de resistência que é mais longo. Os exercícios de elevada intensidade têm-se tornado populares entre os desportistas e os corredores, bem como para os pacientes com a função muscular afetada. No entanto, até à data ainda não se sabia como pouco minutos de exercício de elevada intensidade eram tão eficazes.
 
De forma a tentar perceber o que acontece nas células dos músculos durante a prática deste tipo de exercício, os investigadores do Instituto Karolinska, na Suécia, pediram a desportistas masculinos amadores para pedalarem durante 30 segundos à máxima intensidade possível e descansarem durante os quatro minutos seguintes. Este procedimento foi repetido seis vezes. Posteriormente foram retiradas amostras do tecido muscular das coxas.
 
O estudo apurou que a prática de três minutos de exercício de elevada intensidade rompe os canais de cálcio nas células musculares. Isto provoca uma alteração duradoura na forma como as células lidam com o cálcio, e é um excelente sinal para a adaptação, como a formação de novas mitocôndrias. 
 
As mitocôndrias são organelos celulares responsáveis pela produção de energia no interior das células. As alterações que estimulam a formação de novas mitocôndrias aumentam a resistência muscular. 
 
Os investigadores verificaram que a rutura dos canais de cálcio desencadeada pelo exercício de elevada intensidade foi causada por um aumento de radicais livres, que são muito reativos e oxidam as proteínas celulares. As células têm, portanto, sistemas antioxidantes para capturar e neutralizar os radicais. Os antioxidantes, como a vitamina E e C, estão presentes nos alimentos e também em alguns suplementos dietéticos. 
 
No estudo, os investigadores avaliaram o que ocorria quando os músculos de ratinhos isolados eram tratados com antioxidantes antes e após o exercício de elevada intensidade.
 
“O nosso estudo demonstrou que os antioxidantes removem os efeitos dos canais de cálcio, o que pode explicar por que motivo podem enfraquecer a resposta muscular durante o treino de resistência. Os nossos resultados também mostram que os canais de cálcio não são afetados pela prática de intervalos de três minutos de exercício físico de elevada intensidade nos atletas de resistência de elite, que desenvolveram sistemas de antioxidantes mais eficazes”, conclui um dos autores do estudo, Hakan Westerblad.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.