Exercício ajuda a combater stress dos preocupados

Estudo avalia universitários em época de exames

05 julho 2004
  |  Partilhar:

As pessoas ansiosas apresentam, em geral, mais sintomas depressivos que as pessoas despreocupadas. Agora, um estudo mostrou que, durante os períodos de stress, esses «preocupados crónicos» poderiam sentir melhoras se fizessem exercício físico.A equipa de Warren R. Coleman, da Universidade da Califórnia, em Chico, verificou que, durante os exames finais, os universitários mais propensos a se preocupar muito também tinham níveis mais elevados de sintomas de depressão -- como tristeza e pessimismo. Os investigadores não determinaram, no entanto, se algum dos estudantes sofria realmente de depressão clínica.No trabalho, os especialistas constataram que os voluntários que fizeram exercícios apresentaram menos sintomas depressivos que os estudantes que não praticavam actividade física ou que o faziam raramente.Ao avaliar as duas características em conjunto, observaram que as pessoas que não eram constantemente preocupadas não reduziram os sintomas de depressão com a prática de exercício. O oposto ocorreu com os preocupados crónicos.Embora o estudo tenha medido apenas o efeitos da actividade física no período de exames finais de universitários, os resultados podem ser aplicados a pessoas de várias faixas etárias que sofrem diferentes formas de stress, como passar por um divórcio, disse Coleman .Além disso, fazer exercício é sempre saudável, e as conclusões sugerem que a actividade física pode ajudar algumas pessoas a combater os períodos de stress, comentou o especialista.No estudo, 118 universitários responderam a questionários elaborados para medir o nível de preocupação, os sintomas de depressão e a frequência da prática de exercício na semana anterior. A avaliação foi feita em dois períodos distintos: no último mês de aulas do semestre e na época dos exames finais.As pessoas não eram preocupadas crónicas e que raramente -- ou nunca -- praticavam actividade física não pareceram apresentar mais sintomas de depressão que os despreocupados que se exercitavam. Por outro lado, os preocupados crónicos pareceram menos propensos a ter sintomas depressivos se praticassem algum tipo de actividade física.Coleman explicou à Reuters Health que os preocupados crónicos são pessoas que ficam apreensivas em todas as situações que enfrentam -- na escola, trabalho ou em casa.As pessoas que conhecem preocupados crónicos podem identificar essas características nos amigos, observou o cientista. Estudos anteriores demonstraram que a actividade física pode reduzir os sintomas de depressão, mas não deixaram claro quais são os mecanismos por de trás desse efeito nem como ocorre, acrescentou Coleman. «A ciência simplesmente não sabe». Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.