Excesso de ferro pode causar enxaqueca

Desequilíbrio na região cerebral que controla a dor pode explicar dores de cabeça

01 outubro 2001
  |  Partilhar:

Os misteriosos mecanismos que fazem disparar a enxaqueca podem ter sido desvendados. Investigadores norte-americanos descobriram que o problema pode residir na relação do centro de controlo da dor com um desequilíbrio do ferro.
 

 

Tudo acontece, segundo explica o líder da investigação, Michael Welch do Centro Médico da Universidade do Kansas, devido a uma «falha» na região que controla a dor, conhecida por substância cinzenta periaquedutal (PAG).
 

Na enxaqueca, tal como numa outra situação de stress, a PAG é activada, mas em casos anormais - disfunção ou lesão nervosa - o resultado origina dor.
 

 

Para desvendar o porquê desta disfunção, a equipa de Welch estudou os níveis de ferro em pacientes com enxaqueca ou dores de cabeça frequentes e comparou-os com outras pessoas sem este tipo de problemas. Os cientistas descobriram, então, que os níveis de ferro podem reflectir mudanças na maneira como funcionam as células da PAG.
 

 

De acordo com o estudo, publicado na edição da revista Headache, os níveis de ferro na PAG apresentaram-se significativamente aumentados em pacientes com enxaqueca ou com dores de cabeça quando comparados com os restantes voluntários que participaram no estudo.
 

 

Mais. Embora os níveis de ferro sejam elevados em doentes que sofrem de enxaquecas, quanto mais tempo os pacientes apresentam dores de cabeça, mais altos são os níveis de ferro. Entra-se, então, num esquema cíclico: níveis elevados de ferro dão origem a ataques de enxaqueca que, por sua vez, provocam repetidas dores de cabeça.
 

 

Mas se o problema é a acumulação de ferro, como poderão os pacientes prevenir as terríveis dores de cabeça? Welch aconselha apenas a tratar as enxaquecas «com prontidão», bem como prevenir os ataques «sempre que possível».
 

 

Paula Pedro Martins
 

 

MNI - Médicos Na Internet
 

Fonte: Reuters
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar