Evitar estar sentado combate obesidade

Cientistas avaliam estilos de vida de magros e gordos

04 fevereiro 2005
  |  Partilhar:

 

 

Uma equipa de investigadores norte- americanos verificou que ficar sentado menos tempo faz toda a diferença entre obesidade e peso normal num grupo de pessoas sedentárias, segundo um estudo divulgado pela revista Science.
 

 

As pessoas inactivas com excesso de peso sentam-se durante mais tempo e mexem-se menos que os sedentários magros, que se sentam menos e se mexem mais, observou a equipa de investigadores da Clínica Mayo, de Rochester (Minnesota).
 

 

Para chegarem a essa conclusão, os autores do estudo recorreram a sensores electrónicos colocados no vestuário de 20 pessoas - dez magras e dez moderadamente obesas - para registar todos os seus movimentos, por mais pequenos que fossem, e os alimentos que ingeriam. Em média, os magros ficaram de pé e mexeram-se mais duas horas por dia do que os gordos.
 

 

Numa segunda fase do estudo, os cientistas fizeram ganhar peso aos magros, dando-lhes calorias em excesso, e puseram em dieta os obesos, para que emagrecessem. Depois, durante um período de observação de dez dias, constataram que os dois grupos não modificaram os hábitos anteriores: os magros mais gordos continuaram a mexer-se duas horas mais do que os obesos menos gordos.
 

 

Segundo os cientistas, isso indicaria que as pessoas que sofrem de excesso de peso terão a necessidade biológica de ficar mais tempo sentadas.
 

 

Se os obesos se tivessem movido tanto quanto os magros, teriam queimado mais 350 calorias por dia, o que mostra, segundo o estudo, «que uma simples mudança nas actividades diárias pode modificar profundamente o equilíbrio calórico do organismo».
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.