Europeias têm menos hipóteses de vencer cancro da mama

Diagnóstico tardio leva à morte

30 dezembro 2003
  |  Partilhar:

As europeias têm menos possibilidade de sobreviver ao cancro da mama do que as norte-americanas, revela um estudo de uma equipa multinacional de investigadores. A culpa é do diagnóstico tardio da doença neste lado do Atlântico. O estudo de uma equipa multinacional de investigadores, publicado na revista Cancer, analisou dados referentes a mais de 17 mil doentes. Segundo os cientistas, 89 por cento das norte-americanas sobrevivem, cinco anos depois do diagnóstico, algo que, na Europa, apenas 79 por cento das mulheres conseguem. Ao mesmo tempo, 41 por cento dos casos de cancro na mama nos EUA são diagnosticados numa fase precoce da doença, enquanto apenas 29 por cento dos casos na Europa o são. A detecção precoce do cancro da mama aumenta as taxas de sobrevivência, já que o tratamento começa antes que a patologia se espalhe para o resto do corpo. De acordo com o estudo, os programas de diagnóstico precoce e o conhecimento que as mulheres têm dos sintomas de cancro são melhores nos Estados Unidos, pelo que os tumores são eliminados numa primeira fase.Fonte: Diário Digital

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.