EUA: Cientistas que inocularam sífilis e gonorreia em ensaios na Guatemala violaram normas éticas

Conclusão da Comissão Presidencial norte-americana para o Estudo dos Assuntos da Bioética

31 agosto 2011
  |  Partilhar:

Os cientistas norte-americanos que inocularam sífilis e gonorreia, doenças sexualmente transmissíveis, em mais de mil pessoas na Guatemala, em ensaios clínicos que terão matado 83, sabiam que estavam a violar normas éticas, mas fizeram o possível para ocultá-lo.

 

A conclusão é da Comissão Presidencial norte-americana para o Estudo dos Assuntos da Bioética, durante a sexta reunião da investigação pedida pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ao caso, que remonta a 1948 e 1949, mas tornado público no ano passado.

 

"Os investigadores sabiam que o que estavam a fazer ia contra as normas estabelecidas nos Estados Unidos, mas fizeram o possível por mantê-lo em segredo e só o partilharam com um pequeno grupo de investigadores e superiores", afirmou na segunda-feira a presidente da comissão, Amy Gutmann, citada pela agência noticiosa Efe.

 

Segundo a responsável, os cientistas "não só não pediram o consentimento informado [das pessoas], como as enganaram e não deram tratamento com penicilina às que estavam infectadas com sífilis e gonorreia".

 

O investigador Stephen Hauser disse, na reunião da comissão, que 83 pessoas morreram infectadas, mas ressalvou que desconhece quantas terão falecido exactamente devido aos ensaios clínicos.

 

A fonte precisou que o objectivo principal dos testes de inoculação de gonorreia era "provar a eficácia de uma variedade de medidas profiláticas, incluindo várias loções químicas, assim como da penicilina por via oral".

 

Os cientistas pretendiam também compreender as alterações no sangue e no corpo depois da introdução da sífilis no organismo e se as mesmas dependiam do contágio causado por coelhos doentes ou por pessoas contaminadas.

 

A exposição intencionada à gonorreia e à sífilis, que incluiu 50 ensaios distintos, realizou-se através de prostitutas infectadas ou injecções directas dos agentes patogénicos no organismo.

 

A Comissão Presidencial para o Estudo dos Assuntos da Bioética tem por missão investigar as experiências científicas, financiadas então pelos institutos de saúde norte-americanos e determinar se existem suficientes salvaguardas para proteger humanos em estudos financiados pelo governo federal. 
 

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.