EUA: Bombeiro volta a falar depois de 10 anos em silêncio

Situação intriga médicos

19 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

 

 

Casos recentes como o de um bombeiro norte-americano que recuperou a fala depois de quase dez anos de silêncio devido a uma lesão cerebral não encontram respostas fáceis da parte dos médicos. Donald Herbert, 43 anos, começou a falar com a família na semana passada, depois de ter perdido a fala em 1995 ao sofrer uma lesão cerebral num acidente ocorrido durante o combate a um incêndio nos Estados Unidos.
 

 

O mesmo aconteceu há dois anos com uma vítima de um acidente rodoviário que passou 19 anos em silêncio. Antes disso, um polícia paralisado por uma lesão cerebral sofrida num tiroteio começou a falar depois de oito anos.
 

 

Normalmente, os pacientes com lesões cerebrais melhoram nos primeiros cinco anos, sobretudo nos primeiros dois, mas a mudança costuma ser gradual. As explicações para estas recuperações súbitas após longos períodos de prostração não são fáceis de encontrar. «Não sabemos realmente o que se passa», diz Anthony Stringer, director de neuropsicologia no departamento de medicina de reabilitação da Faculdade de Medicina da Universidade de Emory.
 

 

Segundo outros peritos, embora a resposta possa envolver alguma lenta alteração cerebral, uma melhoria súbita pode ter uma causa muito diferente, como mudanças na medicação ou de tratamento, ou outra situação médica que tenha estado a suprimir as funções mentais. Os especialistas dizem que esses casos são tão raros que existe pouca matéria para estudar, sendo que as notícias omitem normalmente pormenores que seria necessário conhecer para avaliar as possíveis causas.
 

 

Donald Herbert ficou sob os escombros de uma casa e sem oxigénio durante seis minutos, quando combatia um incêndio em 1995. A lesão cerebral sofrida atirou-o primeiro para um estado de coma, em que se manteve durante dois meses e meio, revela o jornal Buffalo News, na sua edição na Internet. Ao sair do estado comatoso, Donald ficou com a vista e a fala seriamente afectados, não sendo também capaz de reconhecer as pessoas, mesmo os familiares mais chegados, como a sua mulher.
 

 

Mas ao fim de vários anos de hospitalização e depois de internado numa casa de repouso em Orchard Park, norte do estado de Nova Iorque, o bombeiro recuperou inesperadamente a fala, na semana passada. Donald Herbert pediu a presença da mulher, Linda, dos quatro filhos e de vários amigos e familiares, com quem esteve em animada conversa ao longo de 16 horas, antes de cair num sono profundo que se prolongou por um dia.
 

 

Nenhum destes casos eram «estados vegetativos persistentes» como o de Terri Schiavo, a mulher da Florida cuja morte por interrupção de assistência hospitalar, decidida pela Justiça, causou recentemente uma acesa polémica nos Estados Unidos.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.