Estudo vai avaliar depressão nos adolescentes portugueses

Projecto vai ser desenvolvido em 26 escolas do país

13 maio 2011
  |  Partilhar:

Cerca de dois mil jovens de 14 anos vão participar num estudo de prevenção da depressão na adolescência, que, segundo a responsável do projecto, Ana Paula Matos, é um “flagelo nacional”, com 14% da população-alvo a manifestar sintomas depressivos.

 

Actualmente, o projecto "Prevenção da Depressão na Adolescência: Importância e Implicações" (PDAII), a ser desenvolvido em Portugal há três anos, envolve mil jovens, mas o objectivo é duplicar este número.

 

O projecto, a ser desenvolvido já em 13 escolas do país, deverá também ser alargado a mais 13 estabelecimentos de ensino, revelou à agência Lusa, Ana Paula Matos, docente da Universidade de Coimbra responsável pelo Centro de Investigação do Núcleo de Estudos de Intervenção Cognitivo Comportamental da Faculdade de Psicologia e das Ciências da Educação (CINEICCFPCE), da Universidade de Coimbra.

 

O alvo do estudo é um grupo de jovens com 14 anos, cuja taxa de incidência de factores depressivos é, segundo a investigadora, de 14%o. Entre os sintomas destaca-se a irritabilidade - considerado o principal factor que traduz a existência de depressão entre os adolescentes -, além da manifestação de tristeza e problemas de alimentação, de sono ou de comportamento.

 

O estudo tem como base um inquérito aos jovens, mas envolve também uma abordagem genética, mediante autorização dos pais ou encarregados de educação.

 

O PDAII é um projecto internacional em que participam também a Islândia, os EUA e a Alemanha e tem origem nos estudos sobre o comportamento do professor americano Craig EAB (Experimental Analysis of Behavior). A iniciativa será financiado pela Fundação da Ciência e Tecnologia em 130 mil euros, adiantou Ana Paula Matos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 1 Comentar