Estudo traz mais dados sobre regulação da actividade dos genes

Pesquisa que conta com investigador português publicada na “Science”

20 outubro 2008
  |  Partilhar:

Um grupo de investigadores da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, de que faz parte um português, Nuno Barbosa-Morais, descobriu que o ADN humano continua a comportar-se como humano mesmo quando colocado num ambiente de células de ratinho. O estudo foi publicado na revista “Science”.
 

 

Os investigadores centraram a sua atenção em células de fígados de ratinhos, cujas células estaminais embrionárias tinha sido inserido um cromossoma 21 humano para estudo da síndrome de Down.
 

 

Começaram por estudar a forma como os factores de transcrição se ligavam ao cromossoma humano nas células hepáticas do ratinho, assim como os níveis de expressão de todos os genes codificados para esse cromossoma.
 

 

Depois, compararam estes resultados com os valores encontrados para o mesmo cromossoma em células de fígado humano e com os obtidos para a secção homóloga de ADN de ratinho nas células de fígado de ratinho.
 

 

Inesperadamente, os resultados obtidos para o cromossoma 21 humano dentro das células de ratinho eram praticamente idênticos aos observados para o mesmo cromossoma em células humanas e muito diferentes dos observados para o ADN do ratinho.
 

 

Na perspectiva do investigador português, “o entendimento de como os genes são activados e silenciados é decisivo, quer para uma melhor compreensão do desenvolvimento fisiológico do organismo, quer para a compreensão de doenças de origem genética e, consequentemente, para o seu tratamento”.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.