Estudo para redução do colesterol da Universidade de Coimbra foi premiado

Prémio de 2016 da Academia de Farmácia de Castela e Leão

29 dezembro 2016
  |  Partilhar:
Um estudo da Universidade de Coimbra com vista à redução de colesterol na população idosa foi distinguido pela Academia de Farmácia de Castela e Leão, em Espanha.
 
Segundo uma nota de imprensa enviada pela universidade à agência Lusa, o estudo, desenvolvido nos Laboratórios de Bromatologia e de Análises Clínicas da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (FFUC), recebeu o prémio de 2016 da Academia de Farmácia na categoria de trabalhos de investigação básica ou clínica no campo das ciências farmacêuticas.
 
A investigação, da autoria de Isabel Andrade, Lèlita Santos e Fernando Ramos, foi a primeira "a nível mundial a estudar o efeito simultâneo de fitoesteróis [grupos de esteróis que podem ser encontrados em óleos vegetais] e de estatinas [fármacos] no perfil lipídico e no metabolismo do colesterol em idosos", referiu a Universidade de Coimbra.
 
Os dados obtidos após dois períodos consecutivos de três semanas de intervenção confirmaram um efeito de redução do colesterol no sangue com a toma de "dois gramas por dia de fitoesteróis, através do consumo de um iogurte líquido suplementado, em combinação com uma estatina", fármaco utilizado no tratamento da elevada concentração de colesterol no sangue - hipercolesterolemia.
 
O benefício da associação "de um inibidor não farmacológico da absorção do colesterol [os fitoesteróis do iogurte]" as estatinas levou a uma evidente "redução absoluta do colesterol-LDL", tendo-se "verificado mesmo para concentrações de colesterol-LDL baixas [inferiores a 100 mg/dL] em idosos cujo metabolismo basal é já diminuído".
 
O estudo contou com a participação de idosos de instituições do distrito de Coimbra com mais de 65 anos, de ambos os sexos e com hipercolesterolemia. 
 
"A Academia de Farmácia de Castela e Leão considerou, na atribuição do prémio, que a utilização de medicamentos com alimentos suplementados com fitoesteróis na população idosa, não deixa de ser um relevante contributo para os avanços científicos em saúde uma vez que inclui a problemática das doenças cardiovasculares, a abordagem terapêutica mais comum com estatinas e a população idosa: três importantes assuntos na atualidade para a profissão Farmacêutica", salientou a Universidade de Coimbra na nota de imprensa. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Comentários 0 Comentar