Estudo avalia conhecimento da Sida entre os portugueses

Inquérito da Marktest para a Coordenação Nacional para a Infecção VIH

30 setembro 2006
  |  Partilhar:

Um estudo sobre a Sida em Portugal demonstrou que um terço dos inquiridos julga que o vírus se transmite por beijos ou nas casas de banho e um quinto acha mesmo que pode infectar-se na comida e talheres. Realizado pela Marktest para a Coordenação Nacional para a Infecção VIH, o estudo foi feito a uma amostra constituída por 810 entrevistas a indivíduos de ambos os sexos, com 18 e mais anos. As conclusões do estudo, apresentado na semana passada em Lisboa, revelam que a maioria dos portugueses conhece as formas de transmissão do VIH. As relações sexuais desprotegidas foram identificadas por 97,5% dos inquiridos como forma de transmissão do VIH, a partilha de seringas por 96%, a partilha de objectos cortantes por 86,4% e a transmissão vertical (de mãe para filho) por 82,2%. Apesar da maioria demonstrar conhecer as formas de transmissão, 73% dos entrevistados nunca fez testes para a detecção da infecção VIH/Sida. O VIH transmite-se apenas através de sangue, das secreções sexuais e da mãe infectada para o filho, mas uma percentagem significativa dos inquiridos julga que o vírus se transmite através de beijos (30,4%), pelo uso de casas de banho (29,5%), picada de insectos (29,5%), tosse e espirros (22,7%), comida e talheres (18,1 por cento) e 5,3% disse que o aperto de mãe e abraço são fontes de contágio, enquanto 1,2% afirmou desconhecer as formas de transmissão. Fontes: Lusa e Diário de Notícias MNI- Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.